Sinopse DarkSide: Baseado no clássico filme de horror de 1982 dirigido por George A. Romero, Creepshow apresenta as ilustrações assombrosas do legendário Bernie Wrightson e capa feita pelo extraordinário artista da EC Comics Jack Kamen! Um tributo sombrio e cômico, Creepshow traz cinco histórias sinistras do mestre do terror contemporâneo. (Resenha: Creepshow – Stephen King).

Opinião: Primeira incursão de Stephen King no mundo da graphic novel, Creepshow é a adaptação do filme de mesmo nome para as histórias em quadrinhos. A obra é composta de cinco histórias que fazem uma homenagem ao estilo das HQs de terror dos anos 1950. Ou seja, não são tramas que vão assustar ou provocar nenhum desconforto nos leitores dos tempos modernos. Na verdade, a imensa maioria soa inocente e até mesmo trash demais.

Creepshow é o tipo de publicação que vale por duas coisas. Em primeiro, por suas artes gráficas. O trabalho de Bernie Wrightson é fantástico, com um traço bem marcante e que reflete com perfeição o jeitão da época. Em segundo, pela oportunidade de ter na estante uma obra documental de um estilo de quadrinhos que não existe mais. Para além disso, a leitura das cinco histórias é uma boa diversão para uma tarde qualquer, mas nada que vá despertar paixões em nenhum leitor.

O nome de Stephen King como roteirista do filme, e como autor das histórias de Creepshow, é o atrativo maior para que os leitores caiam com sede neste pote. E aí, fica o alerta. Não criem grandes expectativas! O que temos aqui, são cinco narrativas curiosas. Algumas com alguns furos, outras mais elaboradas, mas todas bem características de uma época muito diferente da nossa.

Chamo a atenção para A Caixa, a melhor história, na minha opinião, e que facilmente renderia um conto. Vingança Barata e Indo com a Maré são boas histórias e trazem seus horrores escatológicos e irônicos bem acentuados. Dia dos Pais é o que mais se aproxima de um terrorzão, mas deixa bem a desejar. Por fim, A Solitária Morte de Jordy Verrill é o ápice do trash.

A oportunidade de ter contato com Creepshow não deve ser perdida. É uma obra que ninguém esperava que fosse chegar ao Brasil e que a DarkSide, que não detém os direitos dos romances de King por aqui, vale lembrar, acertou em cheio em publicar. Dispam-se de seus pré-conceitos sobre terror e embarquem naquilo que provavelmente provocava medo em seus pais ou avós. A viagem vai ser bem divertida.

Avaliação: 3 Estrelas

O Autor: Stephen King nasceu em 1947 em Bangor, no Maine. É autor de mais de cinquenta best-sellers no mundo inteiro e mais de 200 contos. Os mais recentes incluem Revival, Joyland, Escuridão Total sem Estrelas (vencedor dos prêmios Bram Stoker e British Fantasy), Doutor Sono, Sob a Redoma (que virou uma série de sucesso na TV) e Novembro de 63 (que entrou no TOP 10 dos melhores livros de 2011 pelo New York Times Book Review e ganhou o Los Angeles Times Book Prize na categoria Terror/Thriller e o Best Hardcover Novel Award da organização International Thriller Writers).

Stephen King recebeu em 2003 a medalha de Eminente Contribuição às Letras Americanas da National Book Foundation; em 2007 foi nomeado Grão-Mestre dos Escritores de Mistério dos Estados Unidos; e em 2015 recebeu do presidente Barack Obama a National Medal of Arts por “sua combinação de narrativa notável e análise precisa da natureza humana, com trabalhos de terror, suspense, ficção científica e fantasia que, por décadas, assustaram e encantaram públicos de todo o mundo”.

Ele mora em Bangor, no Maine, com a esposa, a escritora Tabitha King.

Compartilhar
Artigo anteriorResenha: Coluna de Fogo – Ken Follett
Próximo artigoConfira as novidades da Netflix para Novembro/2017
Jornalista e aprendiz de serial killer. Assumidamente um bookaholic, é fã do mestre Stephen King e da literatura de horror e terror. Entre os gêneros e autores preferidos estão ficção científica, suspense, romance histórico, John Grisham, Robin Cook, Bernard Cornwell, Isaac Asimov, Philip K. Dick, Saramago, Vargas Llosa, e etc. infinitas…

Deixe uma resposta