Foram 91 livros lidos em 2017 (não contarei e não levarei em consideração neste post as releituras). O ano foi fantástico e montar essa lista foi extremamente difícil. Acabei deixando alguns títulos de fora com dor no coração, mas eis os 10 mais marcantes:

1 – O Ceifador – Neal Shusterman

Com um enredo sólido, inteligente e original, O Ceifador é um livro único. Fugindo das abordagens óbvias, e um tanto batidas, de seres mágicos ou robôs dominadores, Neal se utilizou de argumentos bem palpáveis para imaginar sua sociedade do futuro. Primeiro: o homem dominou técnicas de prolongamento da vida e pôs um fim à morte. Segundo: uma inteligência artificial (uma nuvem!) passou a controlar absolutamente tudo no mundo, substituindo governos e estruturas burocráticas.

Leia a resenha

_____________________________________________________________________

2 – A Melodia Feroz – Victoria Schwab

Victoria Schwab produziu uma obra inventiva com uma construção impecável que certamente vai encantar leitores fãs de qualquer gênero literário. Uma daquelas histórias que encantam, emocionam, arrancam sorrisos e nos fazem sentir parte da jornada dos personagens.

Leia a resenha

 

_____________________________________________________________________

3 – Por Trás de seus Olhos – Sarah Pinborough

Leia este livro e siga à risca o conselho de não confiar nele, nos seus personagens e em você mesmo. Não haverá arrependimento nenhum quando você ler a última frase da página 346! Apenas choque!

Leia a resenha

 

 

_____________________________________________________________________

4 – O Conto da Aia – Margaret Atwood

Este não é um livro panfletário e tampouco é uma obra para uma leitura rápida e descontraída. O Conto da Aia é uma distopia poderosa para ser lida e assimilada em toda a sua essência, alertas e mensagens. É simplesmente uma obra-prima.

Leia a resenha

 

_____________________________________________________________________

5 – O Homem do Castelo Alto – Philip K. Dick

O que é a realidade, afinal? A realidade é que Hitler e os países do Eixo venceram a Segunda Grande Guerra, expandiram seus domínios e agora detém o controle do mundo. Alemanha e Japão são as potências que dividiram os despojos, mudaram fronteiras e passaram a ditar as regras. O Homem do Castelo Alto é uma daquelas joias da literatura. Um desses escritos fadados a sobreviver e intrigar gerações em qualquer realidade que venha a ser lido.

Leia a resenha

_____________________________________________________________________

6 – Sempre Vivemos no Castelo – Shirley Jackson

Conhecer os Blackwood é uma experiência imperdível. Mesmo que num primeiro momento a história não te atraia, faça uma releitura e mergulhe nos relatos de Merricat quantas vezes for preciso. Deixe-se levar por Shirley Jackson com toda sua sutileza, vigor, humor e tom macabro. Certamente você terá uma nova autora favorita na estante.

Leia a resenha

 

_____________________________________________________________________

7 – As Coisas que Perdemos no Fogo – Mariana Enriquez

As doze histórias se sucedem numa linguagem que em nenhum momento perde o ritmo. A qualidade dos contos é crescente e é difícil apontar algum que saia da média, alta, da obra. Soma-se a isso uma ambientação cinematográfica que nos faz personagens das histórias, tão bem são as descrições de lugares, costumes e características.

Leia a resenha

 

_____________________________________________________________________

8 – Boneco de Pano – Daniel Cole

O estreante Daniel Cole soube construir uma trama que não foge das características mais marcantes do gênero, mas que dá novos ares com pequenos toques de inovação. É suspense de primeira qualidade e que nos deixa com aquela sensação de renovação.

Leia a resenha

 

_____________________________________________________________________

9 – Entre Quatro Paredes – B.A. Paris

A linguagem de B.A. Paris flui de tal maneira que praticamente devoramos suas páginas acompanhando um drama crescente. A sensação de impotência da personagem passa para nós e é impossível não nos colocarmos ao seu lado nessa batalha onde somente a inteligência meticulosa pode sair vencedora.

Leia a resenha

 

_____________________________________________________________________

10 – Coração Satânico – William Hjortsberg

Mesclando suspense com terror em uma narrativa crescente em que as ações vão ganhando contornos cada vez maiores, o clímax da história é aquele tão famoso soco no estômago. Um final surpreendente e à altura da qualidade do mistério criado. Ao unir todos esses ingredientes de forma precisa, sem exageros ou soluções grotescas, William Hjortsberg produziu uma obra-prima que segue impressionando e fascinando diferentes gerações de leitores.

Leia a resenha

_____________________________________________________________________

Aos interessados em conferir mais listas:

Os livros que deixaram a desejar em 2017

Os dez melhores livros de 2016

Os livros que deixaram a desejar em 2016

Até a próxima pessoal! =D

Origem - Dan Brown - Editora Arqueiro
Compartilhar
Artigo anteriorEditora Arqueiro: lançamentos de Janeiro/2018
Próximo artigoResenha: Quase Uma Rockstar – Matthew Quick
Jornalista e aprendiz de serial killer. Assumidamente um bookaholic, é fã do mestre Stephen King e da literatura de horror e terror. Entre os gêneros e autores preferidos estão ficção científica, suspense, romance histórico, John Grisham, Robin Cook, Bernard Cornwell, Isaac Asimov, Philip K. Dick, Saramago, Vargas Llosa, e etc. infinitas…

Deixe uma resposta