Sinopse Record: Grace é a esposa perfeita. Ela abriu mão do emprego para se dedicar ao marido e à casa. Agora prepara jantares maravilhosos, cuida do jardim, costura e pinta quadros fantásticos. Grace mal tem tempo de sentir falta de sua antiga vida. Ela é casada com Jack, o marido perfeito. Ele é um advogado especializado em casos de mulheres vítimas de violência e nunca perdeu uma ação no tribunal. Rico, charmoso e bonito, todos se perguntavam por que havia demorado tanto a se casar. Os dois formam um casal perfeito. Eles estão sempre juntos. Grace não comparece a um almoço sem que Jack a acompanhe. Também não tem celular, que ela diz ser uma perda de tempo. E seu e-mail é compartilhado com Jack, afinal, os dois não guardam segredos um do outro. Parece ser o casamento perfeito. Mas por que Grace não abre a porta quando a campainha toca e não atende o telefone de casa? E por que há grades na janela do seu quarto? Às vezes o casamento perfeito é a mentira perfeita.

Opinião: Do que você tem medo? Em algum momento algum de vocês, leitores compulsivos, já parou para se perguntar, e responder a si mesmo, qual ou quais os seus maiores medos? Façam essa reflexão com bastante honestidade e depois imaginem como seria conviver diariamente com o medo. Conseguiram? Pois bem, é assim que Grace passa seus dias. Seu casamento dos sonhos com o homem perfeito foi uma ilusão que encobriu o pior pesadelo que ela jamais poderia ter imaginado. Esse é o tour claustrofóbico que B.A. Paris nos leva a fazer nas páginas de Entre Quatro Paredes.

Com uma narrativa viciante, esse suspense psicológico nos coloca no centro da vida do casal dos sonhos: Grace e Jack Angel. Aos olhos dos amigos e da sociedade, eles formam o par perfeito. Grace é a esposa dedicada que abriu mão de tudo para cuidar da casa e, em breve, da irmã Millie, portadora de Down. Jack é o advogado de sucesso, cavalheiro, que não mede esforços para surpreender e fazer sua esposa feliz. Mas por trás da máscara de felicidade, quando ambos se encontram sozinhos, há medo, tensão e pavor.

Na noite de lua de mel, Grace descobre que seu marido dos sonhos não passa de um monstro sádico. Um homem capaz de qualquer coisa para conseguir aquilo que lhe dá mais prazer, o medo e a submissão. Jack é um vilão fascinante, que convence por suas atitudes, e cuja inteligência para manter seu jogo cruel com a esposa vai nos deixando angustiados. A aparência de perfeição que ele confere à sua vida, causando ciúmes e admiração nos amigos, é crível demais. E aí nós nos voltamos para Grace, sozinha, tentando manter a sanidade em busca de uma saída nada fácil.

Narrado em primeira pessoa pelo olhar desesperado de Grace, e alternando entre passado e presente sem grandes distâncias de tempo, Entre Quatro Paredes é um livro que envolve facilmente. A linguagem de B.A. Paris flui de tal maneira que praticamente devoramos suas páginas acompanhando um drama crescente. A sensação de impotência da personagem passa para nós e é impossível não nos colocarmos ao seu lado nessa batalha onde somente a inteligência meticulosa pode sair vencedora.

Com ótimos personagens e cenas de tirar o fôlego, Entre Quatro Paredes é um dos melhores thrillers que li neste ano. Faça uma visita a casa dos Angel você também, e descubra que realmente o casamento perfeito pode ser a mentira perfeita, para o bem e para o mal.

Avaliação: 5 Estrelas

A Autora: B.A. Paris de ascendência franco-irlandesa, nasceu em 1958 e cresceu na Inglaterra. Foi viver na França, onde trabalhou durante alguns anos num banco internacional, até se formar como professora e fundar uma escola de línguas com o marido.  “Entre Quatro Paredes” é o seu primeiro romance, que teve um excelente acolhimento por parte da crítica literária e um retumbante sucesso mundial, com mais de um milhão de exemplares vendidos. A sua publicação está assegurada em mais de 35 países e teve os direitos vendidos para o cinema. Ela vive na França com o marido e as cinco filhas.

Compartilhar
Artigo anteriorResenha: Aqueles que Perdemos – Sheena Kamal
Próximo artigoConheça “Gênese”, thriller imperdível de Karin Slaughter
Jornalista e aprendiz de serial killer. Assumidamente um bookaholic, é fã do mestre Stephen King e da literatura de horror e terror. Entre os gêneros e autores preferidos estão ficção científica, suspense, romance histórico, John Grisham, Robin Cook, Bernard Cornwell, Isaac Asimov, Philip K. Dick, Saramago, Vargas Llosa, e etc. infinitas…

6 COMENTÁRIOS

  1. Olá, como vai? Adorei a resenha, queria tê-la escrito, mas agora, vou ter q criar outra né?rsrsrsrs Pois é, viver diariamente com medo não deve ser nada bom, ou melhor, deve ser terrível. Eu no lugar da Grace teria pirado, é uma situação desesperadora o q ela viveu, nossa…Bom…tb li o livro e gostei muito, apesar de ser aterrorizante os momentos vividos nesse livro, é um terror pscicológico muito bem escrito, a autora está de parabéns, assim, como vc pela sua resenha.
    Vou ficando por aqui, pois tenho que escrever a MINHA resenha, passa no meu blog depois para dar uma conferida! srsrsrs

    Abraços, e boas leituras!!!

    https://minhavida-deleitora.blogspot.com.br/

    • Ei Amanda! Obrigado pelas palavras!
      De fato, o livro mexe com uma situação de tensão para a personagem Grace que acaba nos contagiando. É angustiante.

Deixe uma resposta