Resenha: Um Amor Perdido - Alyson Richman

Sinopse Bertrand Brasil: Na Praga do pré-guerra, Lenka, uma jovem estudante de arte, apaixona-se por Josef, um médico recém-formado. Eles vivem cheios de ideais e de sonhos para o futuro, mas também são judeus e muito ligados à família. Casam-se, mas, pouco tempo depois, como tantas outras famílias, são separados pela guerra. As escolhas impostas pelo destino os afastam, mas deixam marcas permanentes: o caos e as informações truncadas dos tempos de guerra os levam a crer que o outro morreu. Da glamorosa vida em Praga antes da ocupação aos horrores da Europa nazista, Um Amor Perdido explora o poder do primeiro amor, a resiliência do espírito humano e a eterna capacidade de recordar. (Resenha: Um Amor Perdido – Alyson Richman).

Opinião: Vencedor do prêmio Long Island Reads em 2012, Um Amor Perdido, da autora Alyson Richman, foi finalmente publicado por aqui pela Bertrand Brasil. Temos aqui um dos melhores romances do ano, sem qualquer sombra de dúvidas, com toda a intensidade que uma boa história merece ter. Mesclando a realidade dos horrores da Guerra e do Holocausto com o amor perdido entre um casal de judeus a autora escreve um dos melhores romances que pude ler ambientado na 2ª guerra mundial. Que história temos aqui meus amigos!

No livro conhecemos Josef e Lenka, dois jovens que vivem com suas famílias no período anterior à guerra em Praga, na Tchecoslováquia. Os dois se conhecem e se apaixonam perdidamente e com a proximidade das batalhas decidem se casar. Porém, com o início da perseguição aos judeus ambos são separados e simplesmente um acha que o outro morreu durante a guerra. O reencontro, e isso não é spoiler, só acontece mais de 60 anos depois com todas as feridas de uma vida que jamais poderá ser recuperada e os traumas de todas as perdas que a crueldade humana foi capaz de proporcionar.

Um ponto chave desse livro é que apesar do romance entre Lenka e Josef ser o eixo central da história apresentada pela autora, ele acaba sendo apenas um pano de fundo para navegarmos nos acontecimentos da guerra. A autora nos proporciona, de forma incrível, sentir o auge e a decadência na vida dos judeus antes da guerra. É agoniante ver vidas construídas ao longo de gerações serem simplesmente roubadas por uma ideologia preconceituosa e criminosa. Dos tempos áureos da década de 30, aos belos vestidos, jantares com música… vamos vendo as famílias judaicas perderem tudo para o Reich. No período de guerra, a autora retrata como os judeus sequer sabiam de fato o que estava acontecendo. A única certeza é de que estavam sendo odiados por um mundo que sequer lhes davam um motivo claro para isso.

O livro é contado, capítulo a capítulo, sob a perspectiva de Josef e Lenka. Ele já vivendo nos dias atuais e lembrando toda a sua trajetória no período pós guerra, na sua busca por Lenka e a decisão de formar uma nova família. Por outro lado, como em uma volta ao passado, nas partes em que Lenka narra a história, acompanhamos sua trajetória junto a sua família durante o período de guerra. Da expulsão de Praga, ao anos no Gueto de Terezín, até a libertação após o final da batalha.

Se um dia eu tiver a oportunidade de viajar pelos caminhos do Holocausto, sem dúvida alguma Teresín estará no meu roteiro de viagem. Os relatos, não só da falta de humanidade, mas de como os nazistas exploraram o talento dos judeus para financiar a guerra que tinha por objetivo exterminar os próprios judeus é chocante e esse livro traz esse viés de forma muito clara. Conhecer de perto tudo isso e prestar um tributo a tantas pessoas que morreram sem sequer saber porque estavam sendo mortas é o mínimo que o mundo poderia fazer todos os dias.

Para os fãs de romances históricos e pessoas interessadas nas temáticas que se passam pela Segunda Guerra Mundial esse livro foi escrito para você, com uma pesquisa histórica impecável, a história de amor acaba sendo um pano de fundo para a autora nos dar uma aula de história sobre o que foi o Holocausto e como jamais devemos esquecer dos horrores que a humanidade já foi capaz de causar entre seus iguais. Se as páginas desse livro fossem música, seria uma sonata dramática e intensa, capaz de nos tirar a própria alma tamanha delicadeza e riqueza nos pequenos detalhes de horror que vivenciamos.

Ps.: Há notícias de que o filme será adaptado para o cinema, mas não consegui muitas informações precisas sobre essa questão. Tendo qualquer novidade eu atualizo aqui pra vocês ficarem sabendo.

Avaliação:

Sobre a autora: Alyson Richman é autora best-seller internacional The Last Van Gogh. Seus romances já foram publicados em dezoito idiomas. Um Amor Perdido foi vencedor do prêmio Long Island Reads em 2012, eleito um dos melhores livros daquele ano e encontra-se em processo de adaptação para o cinema. Richman vive em Long Island com o marido e dois filhos.

Clique aqui para comprar o livro.

Deixe uma resposta