Sinopse Jangada: Numa sociedade corrupta e violenta, dividida pelos signos do Zodíaco, as desigualdades entre as pessoas vêm do berço e continuam por toda a vida. Assassinatos passam a ocorrer com brutalidade incomum, e as vítimas parecem não ter nada em comum. Seriam esses crimes uma rebelião contra o sistema ou obra de um serial killer? Para encontrar uma resposta, o detetive Jerome Burton se junta à astróloga forense Lindi Childs. Juntos eles percorrem uma trajetória sombria para tentar desvendar uma história tenebrosa de traição, amores perdidos, promessas quebradas e uma verdade devastadora capaz de abalar o mundo em que vivem… (Resenha: O Assassino do Zodíaco – Sam Wilson)

Opinião: Este livro é um prato cheio para aqueles que acreditam em horóscopo e no fato de que somos moldados pelas características dos signos que nos regem. Mescla de thriller com distopia, O Assassino do Zodíaco traz um enredo bastante original que chama mais atenção pela forma como o autor optou por organizar a sociedade do que pelo mistério em torno do assassino do título.

Livro de estreia de Sam Wilson, O Assassino do Zodíaco se passa num mundo onde as pessoas são divididas socialmente por signos. Nascidos sob Áries não se misturam com nascidos sob Touro, por exemplo. Cada bairro, escola ou carreira reúne apenas pessoas do mesmo signo ou cujas características as tornem aptas para exercer determinada atividade. Esta ideia, pra lá de original, acaba sendo a maior qualidade do livro, e tudo que envolve as descrições dessa sociedade prende mais nossa atenção do que o mistério, que a princípio deveria ser a base da história.

Ao mostrar um mundo regido e organizado pelo Zodíaco, Sam Wilson aproveita para destacar como o preconceito e a discriminação se fazem presentes de forma até natural em tudo que envolve a nós, humanos. Independente da forma como a sociedade decida se organizar, a dominação de fortes sobre fracos, a desigualdade entre ricos e pobres, a balança do poder e da corrupção sempre vão se fazer presentes. Nas entrelinhas do livro, fica uma mensagem um tanto pessimista de que a humanidade, no fim das contas, sempre encontra um jeito de driblar os ideais mais básicos de convivência igualitária. Vivendo na África do Sul e convivendo com sua história, certamente Sam Wilson encontrou ali muitas das inspirações para a cidade de San Celeste, palco da obra.

Outro ponto que chama a atenção em O Assassino do Zodíaco, e faz desse um livro de mistério bastante peculiar, é o comportamento nada ético do corpo policial. A investigação dos assassinatos que permeiam a história é feita basicamente na marra e por vontade própria de um detetive, Jerome Burton. Além dele, não existe uma força policial dando suporte, mas incrivelmente uma corporação corrupta e que não faz muita questão de esconder esse estilo. Neste livro não encontramos aquela organização policial com seus personagens bem desenvolvidos na caça por um criminoso, como na ampla maioria dos suspenses do gênero. A ordem aqui é invertida e de onde menos se espera surgem os atos que ajudam a desvendar pistas e fazer a engrenagem da investigação andar.

Ponto não negativo, mas um pouco frustrante, o mistério em torno do porquê dos assassinatos e de quem está por trás deles custa a engrenar e só toma forma próximo do meio do livro. Com isso, acaba incrivelmente ficando em segundo plano, perdendo espaço para tramas paralelas que esmiúçam a fascinante organização da sociedade de San Celeste. Quando tudo é desvendado, em sequências em que os capítulos se alternam entre passado e presente e de forma um pouco embaralhada, a sensação é de “ok, tá beleza”. Não há reviravoltas ou nenhum elemento que cause surpresa. Tudo meio que se resolve no automático e nós, leitores, embarcamos nessa.

Se no gênero do suspense O Assassino do Zodíaco não quebra a banca, ele se destaca, repito, por sua ideia original em cima do horóscopo. Os fãs de thrillers vão perceber alguns pontos mal explicados, mas como livro de estreia a obra dá conta do recado. Os capítulos curtos e a linguagem objetiva fazem tudo fluir rapidamente e as mais de quatrocentas páginas são facilmente vencidas. Embarque na leitura e reflita… Onde você se encaixaria nessa sociedade?

Avaliação: 4 Estrelas

O Autor: Sam Wilson nasceu em Londres e foi para o Zimbábue ainda criança, estabelecendo-se depois na África do Sul. Em 2011, foi considerado um dos “Duzentos Jovens Sul-Africanos de Maior Destaque” e hoje trabalha como diretor de TV na Cidade do Cabo. O Assassino do Zodíaco é seu primeiro romance.

Compartilhar
Artigo anteriorResenha: Você – Caroline Kepnes
Próximo artigoHarperCollins adquire direitos sobre obra de Tolkien no Brasil
Jornalista e aprendiz de serial killer. Assumidamente um bookaholic, é fã do mestre Stephen King e da literatura de horror e terror. Entre os gêneros e autores preferidos estão ficção científica, suspense, romance histórico, John Grisham, Robin Cook, Bernard Cornwell, Isaac Asimov, Philip K. Dick, Saramago, Vargas Llosa, e etc. infinitas…

Deixe uma resposta