Sinopse Record: Cassandra Coyle, 26 anos, roteirista e produtora executiva de filmes de terror independentes, encontrada morta na cama de seu quarto com os dois globos oculares arrancados e deixados na palma de sua mão esquerda. Timothy McDougal, 25 anos, contador, encontrado morto na véspera do Natal num píer com três flechas enfiadas em seu peito nu. Dois homicídios completamente distintos com uma única relação: a causa da morte é uma incógnita. Resta à detetive Jane Rizzoli e à legista Maura Isles solucionar o mistério antes que o assassino faça sua próxima vítima. (Resenha: Segredo de Sangue – Tess Gerritsen)

Opinião: Segredo de Sangue é o décimo segundo livro protagonizado pela detetive Rizzoli e pela legista Isles. E para minha absoluta vergonha, é a primeira obra de Tess Gerritsen que leio. Mesmo já conhecendo a fama da autora e recebendo inúmeras indicações de amigos, meus caminhos nunca se cruzaram com os dela, até que este thriller caiu em minhas mãos e suas quase 350 páginas foram completamente devoradas em dois dias.

Segredo de Sangue é um suspense pra lá de tradicional, daqueles escritos sob medida para conquistar leitores e mexer com os instintos investigativos de fãs do gênero. A receita é simples: assassinatos misteriosos, sem nenhuma motivação aparente; uma dupla de investigadoras à caça de indícios e pistas; e uma galeria de personagens que desfilam pelas páginas de forma a embaralhar as percepções do leitor. Não há clichê no mundo que estrague a combinação desses elementos quando ela é feita por autores que sabem trabalhar o suspense. E Tess Gerritsen me conquistou de forma arrebatadora, já nos primeiros capítulos.

A linguagem da obra é uma das mais ágeis e gostosas de se ler que já vi no suspense. A investigação envolve, e nós simplesmente vamos acompanhando e raciocinando junto com a detetive Rizzoli, sem sentir vontade nenhuma de fazer pausas. É aquele típico livro que não conseguimos parar de ler. E como foi meu primeiro contato com a obra da autora, me chamou a atenção o alto grau de “humanidade” das investigadoras. Longe de apresentar uma detetive ou uma legista com aura de heroína, a autora criou personagens normais, falíveis, com qualidades e defeitos que aparecem tanto para ajudar quanto atrapalhar o curso das investigações.

A trama de Segredo de Sangue segue o caminho natural de qualquer obra de suspense, mas a forma escolhida pelo assassino para despachar suas vítimas é de uma originalidade e criatividade fantásticas. Certamente foi o ponto que eu mais vibrei e emiti exclamações elogiosas. E, claro, o desfecho não decepciona, conseguindo segurar tranquilamente o mistério e ainda se prologando para uma sequência/frase de encerramento boas demais para quem gosta de ironias.

Fica claro que existe uma construção da história de vida dos personagens principais, que se deu nos livros anteriores, incluindo menções a outras investigações. Isso não atrapalha em nada a leitura da obra, mas como tenho hábito de ler tudo dos autores que gosto, essa característica, quando bem desenvolvida, é algo que valorizo muito nos livros que leio. Neste caso, serviu para despertar a curiosidade sobre o restante da obra de Tess Gerritsen.

Ler Segredos de Sangue me remeteu aos melhores suspense que ao longo dos anos foram me conquistando e transformando em um fã viciado deste gênero, como Sidney Sheldon, Robin Cook, Scott Turrow. Que venham mais descobertas como essa em breve!

Avaliação: 5 Estrelas

A Autora: Tess Gerritsen abriu mão da medicina para se dedicar à literatura e criar os filhos, e rapidamente conquistou a crítica e o público com seu livro de estréia, Harvest. Ela também é autora dos Best Sellers O cirurgião, O pecador, O dominador e Dublê de corpo.

Origem - Dan Brown - Editora Arqueiro
Compartilhar
Artigo anteriorResenha: Baratas – Jo Nesbø
Próximo artigoResenha: Para todos os garotos que já amei – Jenny Han
Jornalista e aprendiz de serial killer. Assumidamente um bookaholic, é fã do mestre Stephen King e da literatura de horror e terror. Entre os gêneros e autores preferidos estão ficção científica, suspense, romance histórico, John Grisham, Robin Cook, Bernard Cornwell, Isaac Asimov, Philip K. Dick, Saramago, Vargas Llosa, e etc. infinitas…

Deixe uma resposta