“Este o Recife que, pelos seus mistérios, existe, subsiste, persiste desde velhos dias como cidade com alguma coisa de cidade onde o mundo não é só o dos homens. Suas assombrações vêm sendo, mais que suas revoluções, parte do seu modo de ser cidade: de ser a metrópole do Nordeste canavieiro. ”

Sinopse Global Editora: Publicada pela primeira vez em 1955, Assombrações do Recife Velho é uma obra literária dedicada inteiramente ao tema do sobrenatural no passado da cidade. Trata-se de um livro no qual Gilberto Freyre reúne histórias de assombração, resultado de 20 anos de seu interesse pelos fantasmas que assombram a capital pernambucana.

Opinião: O Recife é uma daquelas cidades brasileiras em que diferentes povos se esbarraram no vai-e-vem da história e teceram uma identidade cultural única, fruto de uma miscigenação que só o nosso solo foi capaz de germinar. Da colonização portuguesa às invasões holandesas, a capital pernambucana recebeu brancos, negros, europeus, africanos, judeus…. Essa junção rendeu riqueza e variedade na cultura, nas crenças e costumes e, claro, inúmeros causos a assombrar as pessoas nas caladas da noite. Desses mistérios que rondam e assustam os recifenses, Gilberto Freyre fez um minucioso registro em Assombrações do Recife Velho, obra que imortaliza a memória oral tão cara, rica e nem sempre preservada.

A caprichada 6ª edição da Global Editora, totalmente ilustrada com desenhos de Poty, apresenta um compilado de crônicas reais que a tradição popular testemunhou e foi repassando de pais para filhos ao longo dos anos. Gilberto Freyre aproveitou-se de sua passagem pelo jornal A Província para coletar o que de mais significativo aconteceu no Recife nas horas em que as ruas se faziam desertas e o vento arrepiava as espinhas. São pequenas histórias que misturam crenças com lendas, acontecimentos estranhos que ganharam ares de sobrenatural, coisas inexplicáveis que só encontravam sossego quando o dia clareava.

A leitura de Assombrações do Recife Velho é um passeio por ruas, algumas já com outros nomes, personagens, fatos do cotidiano e casarões famosos por seus barulhos que espantavam moradores. O livro é um guia a manter vivos acontecimentos fadados ao esquecimento, além de uma bela homenagem ao Recife das pessoas comuns que enfrentaram as dificuldades do dia-a-dia com uma pitada de mistério e assombro.

Ao compilar essas histórias sobrenaturais, Gilberto Freyre mostra a importância de valorizarmos, também, a sabedoria que vem dessas ruelas escuras e casarões sombrios. As assombrações e os fatos sem explicação habitam nosso Brasil desde sempre e fazem parte do cotidiano das pessoas. São a nossa identidade frente a sugadores de sangue europeus ou zashiki-warashi japoneses. Crônicas fascinantes que merecem serem lidas e compartilhadas. E mesmo não acreditando na veracidade dos relatos, não custa nada nos benzermos. Afinal, cautela demais mal há de fazer.

Avaliação: 5 Estrelas

O Autor: Gilberto Freyre foi um sociólogo, antropólogo, historiador, escritor e pintor brasileiro, considerado um dos mais importantes sociólogos do século XX. Casa-Grande & Senzala, sua obra mais famosa, foi um livro escrito pelo autor e publicado em 1 de dezembro de 1933. Através dele, Freyre destaca a importância da casa grande na formação sociocultural brasileira bem como a da senzala que complementaria a primeira.

Compartilhar
Artigo anteriorDownton Abbey: Filme foi confirmado pela produtora da serie
Próximo artigoConfira as novidades da Netflix para Julho/2017
Jornalista e aprendiz de serial killer. Assumidamente um bookaholic, é fã do mestre Stephen King e da literatura de horror e terror. Entre os gêneros e autores preferidos estão ficção científica, suspense, romance histórico, John Grisham, Robin Cook, Bernard Cornwell, Isaac Asimov, Philip K. Dick, Saramago, Vargas Llosa, e etc. infinitas…

Deixe uma resposta