Sinopse Gutenberg: Em uma noite de verão, a Detetive Erika Foster é convocada para trabalhar em uma cena de homicídio. A vítima: um médico encontrado sufocado na cama. Seus pulsos estão presos e através de um saco plástico transparente amarrado firmemente sobre sua cabeça é possível ver seus olhos arregalados. Poucos dias depois, outro cadáver é encontrado, assassinado exatamente nas mesmas circunstâncias. As vítimas são sempre homens solteiros, bem-sucedidos e, pelo que tudo indica, há algo misterioso em suas vidas. Mas, afinal, qual é o segredo desses homens? Qual é a ligação entre as vítimas e o assassino? Erika e sua equipe se aprofundam na investigação e descobrem um serial killer calculista que persegue seus alvos até achar o momento certo para atacá-los. Agora, Erika Foster fará de tudo para deter aquela sombra e evitar mais vítimas, mesmo que isso signifique arriscar sua carreira e também sua própria vida.

Opinião: Após ler A Garota no Gelo (confira a resenha aqui) apostei que novas histórias da detetive Erika Foster tenderiam a crescer em qualidade. Uma Sombra na Escuridão, segundo livro envolvendo a personagem, vem confirmar essa previsão e colocar o autor Robert Bryndza na minha lista de “livros a serem lidos sempre”.

A premissa da história, que vocês leram na sinopse acima, segue a linha tradicional que consagrou os romances policiais no mundo: um crime, uma mente criminosa e uma detetive em busca de solucionar a questão. No caso de Uma Sombra na Escuridão, temos uma diversidade de temas delicados como pedofilia, homossexualismo, estupro, sendo trabalhos de forma inteligente, sem nada gratuito, e tudo cumprindo com rigor seu papel no desenvolvimento da história. Este é um livro mais maduro em relação ao anterior, com uma história construída de forma extremamente competente e com total domínio dos pontos a serem amarrados para garantir um desfecho satisfatório.

A narrativa de Uma Sombra na Escuridão não dá tempo para respirarmos. O clima de ação e a sequência de fatos vão se sobrepondo criando um ritmo alucinante. Bryndza se mostra um autor que não gosta de perder tempo com futilidades. Ele vai sempre direto ao ponto da história e isso contribui muito para o suspense fundamental num livro desse gênero. Suas descrições, embora minuciosas, não estão colocadas ali sem um propósito. Cada reviravolta da história, e são muitas, se sustentam e garantem as surpresas que fazem a felicidade de nós, fãs do suspense.

Dito isso, chamo a atenção para dois pontos fantásticos desse livro. Em primeiro lugar, a construção dos personagens. Cada ator envolvido nesta trama foi muito bem elaborado, principalmente nossa protagonista Erika Foster. Bryndza nos faz entender claramente as motivações e angústias que movem esta mulher dando veracidade e tons humanos à personagem. No lado oposto, o serial killer acaba sendo o destaque da história tão verossímil soam suas atitudes e motivações. Um dos vilões mais bem elaborados que me deparei nos últimos tempos.

Em segundo lugar, a crueza do cenário principal da história. O Departamento de Polícia ao qual Erika pertence, e os seus superiores, passam longe da glamourização comum em algumas histórias policiais atuais. Temos ali a realidade fria que possivelmente faz parte da rotina diária desses profissionais. Não há reconhecimento de méritos, o jogo de interesses é intenso e por mais que a detetive mostre serviço ela é sempre encarada com desconfiança. Não há mocinhos com tons de heróis salvadores da cidade, apenas profissionais lidando com a dureza do dia a dia dentro e fora do serviço.

Falar da história e seus detalhes é ser redundante com a sinopse e acabar entregando spoillers. O que vale saber de Uma Sombra na Escuridão é que ele é, na minha opinião, um dos melhores suspenses lançados neste ano, com um final que abre uma excelente expectativa para a próxima aventura de Erika Foster e seus auxiliares. E Robert Bryndza marca seu nome como uma das boas revelações/promessas da nova geração de autores do gênero. E que venha Dark Water, o próximo livro…

Avaliação: 4 Estrelas

O Autor: Robert Bryndza nasceu no Reino Unido e já morou nos Estados Unidos e no Canadá. Seu romance de estreia, The Not So Secret Emails of Coco Pinchard (2012), deu origem à famosa série de comédia romântica de Coco Pinchard. Em 2016, escreveu A garota no gelo, primeiro volume da série de ficção policial da Detetive Erika Foster, best-seller nº 1 do Wall Street Journal e do US Today. O segundo livro da série, Uma Sombra na Escuridão, é também best-seller nº 1 no Wall Street Journal. Juntos, os dois livros já venderam mais de um milhão de cópias e foram traduzidos para 19 idiomas. Dark Water e Last Breath são o terceiro e quarto livros da série, respectivamente. Atualmente mora na Eslováquia com seu marido Ján Bryndza, com quem escreveu o romance satírico Lost in Crazytown (2013).

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta