Sinopse Verus: Faz dez anos que Nicolette Farrell deixou Cooley Ridge, sua cidadezinha natal, depois que sua melhor amiga, Corinne, desapareceu sem deixar rastros. De volta para resolver assuntos pendentes, Nic logo se vê imersa em um drama chocante que faz o caso de Corinne ser reaberto e remexe em antigas feridas. Logo ao chegar, Nic descobre que seu namorado da época está envolvido com Annaleise Carter, a jovem vizinha que foi o álibi do grupo de suspeitos para a noite do sumiço de Corinne. E então, poucos dias após a volta de Nic, Annaleise desaparece. Agora Nic precisa desvendar o desaparecimento de sua vizinha e, no processo, vai descobrir verdades chocantes sobre seus amigos, sua família e o que realmente aconteceu com Corinne naquela noite, dez anos atrás.

Opinião: Todas as Garotas Desaparecidas é um suspense ambicioso por ser narrado em ordem cronológica reversa, ou seja, de trás para frente. Infelizmente este acaba por ser, também, seu único ponto de destaque.

A trama de Megan Miranda é mais uma daquelas cuja sinopse promete muito, mas o mistério em torno das garotas desaparecidas não consegue nos envolver a ponto de despertar aquela curiosidade básica de “o que aconteceu? ”. Ambientada em uma pequena cidade dessas em que todo mundo conhece todo mundo, e onde fofocas encontram ótimas línguas e ouvidos para se propagarem, o desenvolvimento das histórias de vida que unem os personagens é interessante, mas fica nisso. A atmosfera de mistério não consegue se impor a ponto de dar o ritmo de thriller.

Apesar disso, a leitura flui num ritmo tranquilo e a escrita da autora dá conta de sustentar tudo sem se tornar chata ou tediosa. Acredito que a maior motivação que nos leva pelas páginas do livro é descobrir como essa cronologia reversa vai se concluir. Muito mais do que descobrir qual a solução para os desaparecimentos. Mas vale destacar que justamente pelos capítulos avançarem na contramão do tempo, o livro exige uma boa dose de atenção na leitura, principalmente nos términos e fins de cada capítulo.

O desfecho é satisfatório e tudo se amarra direitinho, mas de uma forma tranquila demais. Não há surpresas e a revelação da verdade meio que passa batido. No máximo podemos soltar uma exclamação de “jura? ”.

Em um ano em que tivemos thrillers de tirar o fôlego lançados pelas mais diversas editoras, Todas as Garotas Desaparecidas soa juvenil demais. Seu único mérito é tentar algo diferente na forma de narrar, mas faltou aquela pegada fundamental pra seduzir o leitor.

Avaliação: 3 Estrelas

A Autora: Megan Miranda é autora de romances de sucesso como Fracture, Hysteria, Vengeance e Soulprint. “Todas as garotas desaparecidas” é seu primeiro romance adulto. Licenciada em Biologia pelo MIT, vive perto de Charlotte, no leste dos Estados Unidos, com o marido e os dois filhos.

Compartilhar
Artigo anteriorEditora Arqueiro: lançamentos de Outubro/2017
Próximo artigoEditora Rocco: lançamentos de Outubro/2017
Jornalista e aprendiz de serial killer. Assumidamente um bookaholic, é fã do mestre Stephen King e da literatura de horror e terror. Entre os gêneros e autores preferidos estão ficção científica, suspense, romance histórico, John Grisham, Robin Cook, Bernard Cornwell, Isaac Asimov, Philip K. Dick, Saramago, Vargas Llosa, e etc. infinitas…

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta