Resenha: A Colônia – Ezekiel Boone

0
453

“Ela nunca havia entendido o medo de aranhas. Até aquele momento. ”

Sinopse Suma de Letras: Nas profundezas de uma floresta no Peru, uma massa negra devora um turista americano. Em Mineápolis, nos Estados Unidos, um agente do FBI descobre algo terrível ao investigar a queda de um avião. Na Índia, estranhos padrões sísmicos assustam pesquisadores em um laboratório. Na China, o governo deixa uma bomba nuclear cair “acidentalmente” no próprio território.

Enquanto todo tipo de incidente bizarro assola o planeta, um pacote misterioso chega em um laboratório em Washington… E algo está tentando escapar dele.

Crítica: A literatura de terror e suspense tem nomes consagrados no mundo e uma legião bem exigente de fãs. Em diferentes épocas, autores marcaram seus nomes e estilos em histórias que tiraram o sono de milhares de leitores. E fizeram isso simplesmente porque conseguiram provocar aquele incômodo no fundo do estômago, causar aquela sensação de agitação, de inquietude, o arrepio gelado na espinha. E convenhamos, isso é para poucos e raros escritores.

Quando me deparei com o lançamento da Suma de Letras, A Colônia, tive duas reações. A primeira foi de satisfação em ver o investimento da editora nesse gênero que passou tantos anos legado ao esquecimento ou a autores bem específicos. O mercado editorial brasileiro se volta para o terror e isso é muito bom! A segunda reação foi de ceticismo. O livro, embora bastante elogiado no exterior, tinha animais, mais precisamente aranhas, como seu objeto de terror. Tendo em mente diversas tentativas de autores e principalmente de filmes que tentaram produzir terror com animais e acabaram caindo no trash, encarei o livro de estreia de Ezekiel Boone como mais um. E foi aí que veio a melhor coisa do mundo para um leitor, o livro me surpreendeu e Boone deu um safanão no meu ceticismo.

Em linhas bem gerais A Colônia trata de uma antiga espécie de aranha que desperta para a vida disposta a reconquistar seu território no mundo. É uma distopia bem diferente do que estamos acostumados. Nada de zumbis, revolta de máquinas ou invasão alienígena. A humanidade está ameaçada por aranhas! Inteligentes. Capazes de se organizar tão bem quanto formigas ou abelhas. E o melhor (ou pior, você escolhe), aranhas carnívoras!

A cada capítulo somos transportados para os mais diversos lugares do planeta acompanhando as mudanças, os surtos e o caos. Personagens surgem para nos mostrar flashes de devastação e logo desaparecem, deixando somente para as partes finais a identificação de quais de fato são os protagonistas que devemos acompanhar. Alguns clichês estão presentes como o pai que mais cedo ou mais tarde terá que enfrentar obstáculos para garantir o bem de sua filha de oito anos, a cientista especializada no tema e as autoridades do governo, mas nada disso é demérito. São peças fundamentais da engrenagem que faz a história girar. E girar ao redor do globo.

Ezekiel Boone construiu uma narrativa sufocante. A velocidade com que os acontecimentos vão se desenrolando e crescendo a cada novo capítulo provoca agonia. Acho impossível não nos imaginarmos vivendo algumas das situações descritas e é aí que o autor acerta. Ele consegue provocar pânico no leitor. Sabemos que a maioria das espécies de aranhas é inofensiva, mas mesmo assim é um animal que causa repulsa nas pessoas. O autor sabe muito bem como triplicar essa repulsa. Não somente pelo fato das bichinhas serem carnívoras (o que já é um motivo e tanto), mas pela forma como se reproduzem (cenas de causar desconforto total) e pela organização a que elas se submetem para ganhar terreno.

Os fãs do horror podem respirar aliviados. Ezekiel Boone é a prova de que o gênero está com fôlego dos bons para novas gerações de autores, sob as bênçãos dos mestres Lovecraft, Poe e King.

A Colônia é leitura obrigatória e talvez seja o melhor livro de terror do ano. Ah, e ele não acaba agora. É o primeiro volume de uma trilogia. Em breve teremos um reencontro eletrizante com a continuação dessa saga, portanto, até lá, tome bastante cuidado com aranhas.

O Autor: Ezekiel Boone mora no norte do estado de Nova York, com a esposa, os filhos, e dois cachorros desobedientes. A Colônia é seu livro de estreia.

Avaliação: 5 Estrelas

Deixe uma resposta