Resenha: Como Nascem As Estrelas – Giovanna Ramundo

A História Das Crianças Que Não Sabem Crescer

0
733

Sinopse Editora Autografia : Caio é um menino sem pais que vive uma vida difícil em uma cidade repugnante chamada Remoinho. Mas sua realidade começa a mudar quando um anjo despenca do céu e acaba se tornando seu amigo. Entre um dia e outro a verdade sobre a história do tal anjo é revelada, e não se parece em nada com os contos celestiais que lemos por ai… A partir da voz de um narrador um tanto carismático e incisivo, a relação das duas crianças vai se estabelecendo. E entre livros, músicas, conversas sobre o Universo e tinta para o cabelo, os meninos embarcam em uma nova descoberta sobre a vida, a morte, a infância e quem eles realmente são.(Resenha: Como Nascem As Estrelas – Giovanna Ramundo).

Opinião: Primeiramente não sei como começar essa resenha… Este livro foi uma grande surpresa na minha vida de leitor por vários motivos… dentre eles: me proporcionou repulsa, medo, esperança, alegria, lágrimas e infinitas coisas. É um livro que ficará marcado por muito tempo em minha memória.

Como Nascem As Estrelas é um livro surpreendente em todos os seus aspectos. Possui uma história que tem começo, meio e fim muito bem objetivado; tem uma trama envolvente e humana e o ponto mais alto é que seus mistérios são simples e os personagens (crianças ou adolescentes) são extremamente cativantes.

Caio é uma criança (embora acredito que seja adolescente, mas pra mim ele tá longe disso por toda sua inocência) que desde cedo apanha muito da vida e muitas das vezes não consegue entender porque que com ele as coisas são difíceis e não parecem ter perspectiva de mudança. Sua mãe o deixou cedo ceifada pela morte e seu pai foi embora em busca de outra vida, e ele, apenas uma criança foi deixado para trás.

Por outro lado temos Benjamin uma criança-anjo (adoro esse termo) que de alguma forma intrigante caiu na terra na cidade de Caio chamando pelo seu nome sem ao menos saber de quem se tratava. Ele tem uma missão, a de ajudar Caio a entender os mistérios da sua história e da sua existência, ao passo, que ele começa a relembrar seu passado na terra e como se tornou um anjo.

Tratando da vida de Benjamin a autora consegue expor os horrores de uma família tomada por um pai alcoólatra, violento, abusador e agressor. Suas lembranças são fortes e muito claras e quando lidas causam repulsa e uma vontade imensa de entrar na história e ajudar Benjamin, sua irmã e mãe.

Outro ponto importante é a cidade que Caio mora. Seus moradores são conservadores, tradicionais e tudo que é diferente é tratado como do diabo. A presença do anjo na cidade alimenta a conspiração nos moradores e eles acabam tomando atitudes meio que da idade média, que aos olhos do leitor chegam ser grotescas.

O final dessa história é libertador e dá o sentido de que as coisas podem mudar, mesmo quando não temos esperança a vida da um jeito de sempre nos surpreender. Giovanna Ramundo tem uma estreia empolgante como escritora. No seu primeiro romance, ela consegue transpor sentimentos e calafrios. Ela discute a ideia da evolução do pensamento humano e deixa claro os horrores que o silêncio podem causar em uma família. Leiam!

Avaliação: 

A Autora Giovanna Ramundo  nasceu no Rio de Janeiro em agosto de 1999. Apaixonada por livros e literatura desde criança, ela teve sua imaginação alimentada através das brincadeiras e histórias inventadas por sua mãe e sua avó. Estudante de letras na PUC-RIO, seu maior sonho sempre foi se tornar uma escritora. “Como Nascem As Estrelas: A história das crinaças que não sabem crescer” é seu romance de estreia.

Compartilhar
Artigo anteriorRobert Bryndza | 4º livro da detetive Erika Foster sai em outubro
Próximo artigoLivro examina período em que Hitler esteve preso em Landsberg
Goiano do pé rachado e comedor de piqui. Alucinado por histórias fantásticas e distópicos. Tributo, Hobbit de nascença, e habitante do país de Aslan. Entre os autores Suzanne Collins é majestade e Tolkien é imperador. Técnico em Química e buscando ser químico industrial intercalado com a vida de escritor, um dia qualquer publicará seu livro. Não dispensa um cinema...

Deixe uma resposta