Sinopse Editora Seguinte

No último volume da trilogia A Rebelde do Deserto, Amani vai se deparar com a escolha mais difícil que já teve que fazer: entre si mesma e seu país.
Quando a atiradora Amani Al-Hiza escapou da cidadezinha em que morava, jamais imaginava se envolver numa rebelião, muito menos ter de comandá-la. Depois que o cruel sultão de Miraji capturou as principais lideranças da revolta, a garota se vê obrigada a tomar as rédeas da situação e seguir até Eremot, uma cidade que não existe em nenhum mapa, apenas nas lendas — e onde seus amigos estariam aprisionados.
Armada com sua pistola, sua inteligência e seus poderes, ela vai atravessar as areias impiedosas para concluir essa missão de resgate, acompanhada do que restou da rebelião. Enquanto assiste àqueles que ama perderem a vida para soldados inimigos e criaturas do deserto, Amani se pergunta se pode ser a líder de que precisam ou se está conduzindo todos para a morte certa.(Resenha: A Heroína Da Alvorada – Alwyn Hamilton).

Opinião

E finalmente, pela graça dos deuses do mundo literário, a Editora Seguinte nos proporcionou o privilégio de contemplar o final desta incrível trilogia de sucesso. A Heroína da Alvorada é mais que um livro de encerramento, ele é o ponto forte de toda história de Amani.

Amani continua forte, destemida e implacável. Ela é domadora e arquiteta seus passos com maestria, porque sabe que a perfeição de seus atos é questão de vida ou morte para pessoas que necessitam do seu poder e de sua liderança.

Em A Rebelde do Deserto acompanhamos o surgimento da bandida dos olhos azuis e como toda sua personalidade impactaria nos planos políticos de seu país e como ela seria importante para uma rebelião tímida.

A Traidora do Trono da maiores detalhes de toda rebelião e dos inimigos da rebelião. Também enfatiza os seres mágicos do deserto e evolui a capacidade de Amani de usar seus poderes.

A Heroína da Alvorada é trago de volta aquela Amani, uma garota imbatível, com todo seu heroísmo e a vontade de cumprir sua jornada. Porém, é uma Amani superior, mais ágil, mais sentimental e mais poderosa. Ela é uma rebelde, uma traidora e uma heroína, pois, ela liberta seu povo e liberta a si mesma.

Os outros personagens existem ali como ponto de apoio de Amani, a história é dela e tudo se volta a ela.

Alwyn Hamilton encerra sua trilogia com um trabalho muito bem feito, um universo bastante explorado e uma heroína presente e forte. Leiam!

Avaliação 5 estrelas

A autora Alwyn nasceu em Toronto, no Canadá, e já morou na França e na Itália. Estudou História da Arte no King’s College, em Cambridge, e atualmente vive em Londres.

Link resenha A Rebelde do Deserto 

Resenha: A Rebelde do Deserto – Alwyn Hamilton

Link resenha A Traidora do Trono 

http://leitorcompulsivo.com.br/2018/03/29/resenha-a-traidora-do-trono-alwyn-hamilton/

 

Compartilhar
Artigo anteriorHarperCollins anuncia nova série do autor de “A Saga do Mago”
Próximo artigoResenha: O Terraço e a Caverna – Maurício Limeira
Goiano do pé rachado e comedor de piqui. Alucinado por histórias fantásticas e distópicos. Tributo, Hobbit de nascença, e habitante do país de Aslan. Entre os autores Suzanne Collins é majestade e Tolkien é imperador. Técnico em Química e buscando ser químico industrial intercalado com a vida de escritor, um dia qualquer publicará seu livro. Não dispensa um cinema...

Deixe uma resposta