A editora Suma anunciou em suas redes sociais os primeiros lançamentos confirmados de Stephen King para 2018 no Brasil. São quatro títulos entre inéditos e relançamentos, e ainda há a expectativa para mais novidades durante o ano. Vamos aos títulos:

A Incendiária

Capa da antiga edição brasileira

Lançamento. Faz parte da Coleção Biblioteca Stephen King, voltada para as obras raras de King. O projeto editorial da coleção prevê livros em capa dura e com materiais extras ou especiais.

Sinopse: Andy McGee e sua esposa Vicky foram usados numa experiência secreta enquanto eram adolescentes. Eles acabaram se casando e tendo uma filhinha, Charlene “Charlie” McGee. A menina acabou herdando os genes modificados dos pais, e nasceu com o dom da pirocinesia, que significa que ela pode atear fogo em tudo que quiser.

Charlie, como é pequena, não sabe controlar seus poderes, e acaba sendo avistada pela Oficina, uma sociedade secreta que investiga e explora humanos com poderes especiais.

The Outsider

Capa ainda não revelada

Inédito. Será lançado em junho de 2018 nos Estados Unidos e provavelmente deve chegar ao Brasil entre outubro e novembro.

Sinopse: Um garoto de onze anos é assassinado em um parque da cidade. As impressões digitais (e depois o DNA) são inequivocamente as do treinador de beisebol mais popular da cidade, Terry Maitland, um homem de reputação impecável, com esposa e duas filhas. O detetive Ralph Anderson, cujo filho Maitland treinou, ordena uma prisão imediata. Maitland é levado para a prisão, sua reivindicação de inocência desprezada. Maitland tem um álibi infalível, com imagens para provar que ele estava em outra cidade quando o crime foi cometido. Mas isso também não o salva.

King constrói uma trama propulsora e uma corrida contra o tempo para descobrir a identidade de um assassino terrível e diabólico que deixou vítimas – e “perpetradores” – em todo o país, e que está a caminho de seu próximo ato horrível. O suspense psicológico de King é fascinante nesta história dramática e estranha. E é também magistral em nos mostrar que o lado monstruoso dos seres humanos.

Celular

Capa da edição de 2007 da editora Objetiva

Relançamento. Lançado em 2007 pela editora Objetiva, encontra-se fora de catálogo. Provavelmente virá dentro dos novos padrões gráficos da Suma e com nova capa, seguindo o trabalho que a editora fez com toda a obra do autor.

Sinopse: Onde você estava no dia 1º de outubro? O protagonista desta história, Clay Riddell, estava em Boston, quando o inferno surgiu diante de seus olhos. Bastou um toque de celular para que tudo se transformasse em carnificina.

Depois de anos de tentativas frustradas, o artista gráfico Clay Riddell finalmente consegue vender um de seus livros de histórias em quadrinhos. Para comemorar, decide tomar um sorvete. Mas, antes de poder saboreá-lo, as pessoas ao seu redor, que por acaso falavam ao celular naquele momento, enlouquecem. Fora de si, começam a atacar e matar quem passa pela frente. Carros e caminhões colidem e avançam pelas calçadas em alta velocidade, destruindo tudo. Aviões batem nos prédios. Ouvem-se tiros e explosões vindos de todas as partes. O desafio agora é sobreviver num mundo virado às avessas. Será possível?

Gweendy’s button box

Inédito. Escrito em parceria com Richard Chizmar, a novela de pouco mais de 150 páginas não é uma obra de terror.

Sinopse: A pequena cidade de Castle Rock, Maine, testemunhou alguns eventos estranhos e visitantes incomuns ao longo dos anos, mas há uma história que nunca foi dita … até agora.

Existem três caminhos para se ir até Castle View partindo da cidade de Castle Rock: Rodovia 117, Estrada Agradável e as Escadas Suicidas. Todos os dias, no verão de 1974, Gwendy Peterson, de doze anos de idade, usou as escadas, que são mantidas por ferrões de ferro fortes (um pouco enferrujados pelo tempo) e ziguezagueava até o penhasco. No topo da escada, Gwendy respira e presta atenção aos gritos das crianças no campo de jogos. De um pouco mais longe vem o barulho de um bastão de alumínio atingindo uma bola de beisebol enquanto as crianças da Liga Sênior praticam o jogo de caridade do Dia do Trabalho.

Certo dia, um estranho chama Gwendy: “Ei, garota. Venha aqui um pouco. Devemos conversar, você e eu”.

Em um banco na sombra está sentado um homem de jeans preto, um casaco preto como um terno e uma camisa branca desabotoada no topo. Em sua cabeça, um pequeno chapéu preto. Chegará a hora em que Gwendy terá pesadelos com esse chapéu…

Deixe uma resposta