ALERTA DE SPOILER: Por ser um texto que relembra a trajetória das seis temporadas de Glee, obviamente está carregado de spoilers. Se você ainda não assistiu a série, e ainda pretende fazer, recomendamos voltar a essa matéria após assistir a todos os episódios.

Era início de 2009 e o mundo ainda vivia a ressaca do fim da trilogia High School Music (Disney), que no ano anterior encerrava seu ciclo, quando a FOX anunciava a criação de uma nova série musical, retratando o universo adolescente: naquele momento estava nascendo Glee.

Os olhares da crítica apostavam no fracasso da série antes mesmo da estreia, pois consideravam a fórmula esgotada. Por outro lado, os produtores da série tinham a certeza do sucesso, e o canal decidiu fazer a exibição do episódio “Piloto”, após o American Idol, em maio/2009. O objetivo era chamar a atenção do público que gostava de música e segurar a audiência do reality que era a febre do momento nos Estados Unidos: “Uma comédia única como Glee merece uma estreia única e ambiciosa. Pretendemos tirar proveito de toda a campanha promocional do American Idol para lançar este novo musical”, declarou na época Peter Ligouri presidente da FOX.

A estratégia foi certeira: o episódio “Piloto” alcançou a impressionante marca de quase 10 milhões de espectadores nos Estados Unidos, a canção “Don’t Stop Believing”, sucesso nos anos 80, rapidamente voltou as paradas de sucesso com a versão Glee e a FOX, que inicialmente faria apenas 13 episódios na primeira temporada anunciou a estreia para o dia 09/09 daquele ano com 22 episódios.

Produzida por Ryan Murphy, Brad Falchuk e Ian Brennan, a série foi exibida em mais de 60 países entre 2009 e 2015, alcançou expressivos índices de audiência desde a estreia. A série se tornou um marco na luta contra o bullying, tornando-se um fenômeno mundial com aclamação da crítica e conquistando uma gigantesca base de fãs, com mais de 50 milhões de músicas vendidas, duas turnês mundiais esgotadas, convite da Casa Branca e quase 200 indicações a vários prêmios, ganhando dentre eles três Globos de Ouro, quatro Emmy Awards e seis Satelit Awards.

A história de Glee se passa na fictícia William McKinley High School, em Lima, Ohio, e gira em torno de um grupo de estudantes entusiasmados e ambiciosos na sua luta para vencer a concorrência enquanto vivem seu cotidiano nos cruéis corredores do colégio. Will Schuester assume a direção do clube do coral e tenta restaurar à sua antiga glória, além de estar sempre defendendo a existência do clube para a treinadora Sue Sylvester que faz tudo para acabar com as artes na escola. O foco principal da série são os alunos do clube glee: seus relacionamentos como casais, seu amor pela música e desejo de popularidade entrando em conflito devido à sua filiação no clube e a preocupação com o status. A trama tem uma pegada mista de música, drama, humor e crítica social, abordando temas embaraçosos, envolvendo religião, sexualidade, bullying, suicídio, gravidez, sonhos, morte, entre outros.

A série foi um marco na luta contra o bullying nas escolas, um problema conhecido, mas muito pouco debatido até então. Tanto que em sua segunda temporada, durante o episódio que disputava as regionais do concurso de corais, os produtores apostaram em músicas originais do grupo, nascendo “Loser Like Me” (trecho abaixo, traduzido), que se tornou um hino na luta contra o bullying nas escolas americanas. No Youtube existem centenas de vídeos com projetos musicais de estudantes reproduzindo a canção que ficou no topo das paradas nos Estudos Unidos, Reino Unido, Irlanda e vários outros países.

Vá em frente, tenha inveja de mim e fofoque bastante
Para todos ouvirem
Me bata com seu soco mais forte e me derrube
Baby, eu não ligo
Continue assim e logo logo você vai entender
Você quer ser
Você quer ser
Um fracassado como eu
Um fracassado como eu

A Terceira temporada seguiu com o sucesso da série e marcou um dos momentos mais esperados pelos Gleeks (como são chamados os fãs da série): o coral enfim, depois de três anos, conquistaria o Campeonato Nacional de Corais. O caminho até a vitória foi cheio de emoção, com episódios que homenageavam grandes artistas da música mundial. Para se ter uma ideia, os covers de Michael Jackson levaram a mais de 250 milhões de downloads, uma marca impressionante. E por falar em impressionante, em tempos de crise da indústria fonográfica, a série tinha vendido até aquele momento mais de 42 milhões de canções e 12 milhões de álbuns no mundo inteiro.

Vamos relembrar a vitória nas nacionais e o retorno do grupo, agora campeão, a William McKinley High School?

Shooting Star: o drama dos tiroteios nas escolas era retratado pela série

A quarta temporada da série marcou a vida de alguns personagens após a formatura e o novo grupo que se juntava ao Club Glee após a conquista das nacionais. Sempre debatendo os principais problemas nas escolas americanas, os produtores da série decidiram levar para a ficção o horror vivido nas escolas com o episódio “Shooting Star”, retratando um tiroteio na escola. Esse foi um dos episódios que mais me marcaram em Glee, o terror e o medo no olhar de cada estudante, a forma com que a segurança do ambiente escolar foi destruída, nos leva a refletir sobre o tipo de sociedade que estamos construindo.

Obviamente o episódio gerou muita polêmica. Familiares de vítimas de tiroteios em escolas consideraram o episódio desrespeitoso, obrigando a FOX a emitir um comunicado antes da exibição a todos os espectadores. O criador da série, através do Twitter, declarou na época que lamentava o fato, mas que aquela era o episódio mais emocionante de toda a 4ª temporada e, de fato, foi.

A emocionante despedida de Cory Monteith

Nos últimos episódios da 4ª temporada o ator Cory Monteith foi internado em uma clínica de reabilitação deixando ausente da reta final o personagem Finn Hudson, um dos protagonistas da série. Na época, em comunicado oficial, a Fox declarou seu apoio a Cory. “Ele é um membro querido da família “Glee” e nós apoiamos totalmente sua decisão de procurar um tratamento. Todo mundo deseja o melhor e quer que ele retorne o mais rápido possível”, mas, infelizmente, não foi isso que aconteceu.

Na noite do dia 13 de julho de 2013 o ator foi encontrado morto em um quarto do hotel Pacific Rim, em Vancouver, no Canadá, poucos dias antes de iniciar as gravações da 5ª temporada da série. Mais tarde a autópsia revelava que o ator havia morrido por overdose de heroína e álcool, ali terminava uma luta que o ator travava desde a sua adolescência. A notícia chocou o mundo e abalou a série que até então mantinha seu lugar de destaque entre os fãs.

Abalado, o elenco da série que havia sido renovada para mais duas temporadas, voltou aos estúdios e gravou o emocionante episódio “The Quarterback”, um tributo ao ator. Naquele momento era anunciado o fim de Glee: “O ano final da série, que vai ser no próximo ano, foi desenhado em torno da história de Rachel e Finn. Eu sempre pensei nisso, eu sempre soube como iria acabar. Eu sabia que ele estaria na última cena. Eu sabia qual era a última fala dele e o que ela falaria para ele. Então, quando uma tragédia dessa acontece, você tem que dar uma pausa e pensar no que você quer fazer“, declarou na época Ryan Murphy.
Lea Michele, namorada do ator na série e na vida real, interpretou no episódio Make you feel my Love, em uma das cenas mais tristes da história de Glee.

A série sentiu o golpe da morte de Cory e a 5ª temporada foi uma tentativa desesperada de achar um rumo para a história. Se por um lado era importante manter a escola e o coral, que deram origem a série, os principais personagens já estavam construindo suas vidas após a formatura. Intercalar entre uma história e outra fez com que a audiência fosse reduzida em 1/5 da avassaladora estreia em 2009 e curiosamente, a ficção se misturava, de certa forma, com a realidade. Glee retratava a volta por cima, as novas oportunidades no meio das maiores dificuldades e a série precisava justamente sacudir a poeira e voltar para sua sexta temporada para fechá-la com chave de ouro.

Em certo episódio da série, quando a personagem Rachel Berry estreava o musical Funny Girl, na Broadoway, seu produtor lhe falou uma frase marcante: “volte para o último ato e arrase. Os críticos lembram-se do início e do fim!”. Era justamente disso que Glee precisava.

A missão foi dura, a 6ª temporada teve altos e baixos e audiência foi a mais baixa da história da série, mas os últimos dois episódios foram criados para encerrar a história e cravar pra sempre o amor pela série no coração dos fãs. Em “2009”, penúltimo episódio, os personagens voltaram ao início de tudo e mostraram suas motivações para entrar no coral. Já em “Dreams Come True”…

Glee é considerada como uma das melhores séries de televisão de todos os tempos. A série foi um dos programas da televisão a cabo mais assistidos nos Estados Unidos. A trama também possui dezesseis álbuns de trilha sonora, seis álbuns de compilação, onze extended plays (EPs) e setecentos singles, onde detém o recorde de maior número de singles a entrar na Billboard Hot 100 chart, superando os registros anteriormente detidas por Elvis Presley, os Beatles e James Brown, além de mais de 13 milhões de álbuns vendidos em todo o mundo.

Origem - Dan Brown - Editora Arqueiro

Deixe uma resposta