Resenha: Ele – Sarina Bowen e Elle Kennedy

5
1993
Resenha: Ele. Quando Ryan Conheceu James - Sarina Bowen e Elle Kennedy

Sinopse Editora Paralela: James Canning nunca descobriu como perdeu seu melhor e mais próximo amigo. Quatro anos atrás, seu tatuado, destemido e impulsivo companheiro desde a infância simplesmente cortou contato. O que aconteceu na última noite daquele acampamento de verão, quando tinham apenas 18 anos, não muda uma verdade simples: Jamie sente saudade de Wes. O maior arrependimento de Ryan Wesley é ter convencido seu amigo extremamente hétero a participar de uma aposta que testou os limites da amizade deles. Agora, prestes a se enfrentarem nos times de hóquei da faculdade, ele finalmente terá a oportunidade de se desculpar. Mas, só de olhar para o seu antigo crush, Wes percebe que ainda não conseguiu superar sua paixão adolescente. (Resenha: Ele – Sarina Bowen e Elle Kennedy).

Opinião: Em 2017, pouco antes da Bienal do Livro no Rio, às vésperas da visita da autora Abbi Glines ao Brasil, decidi me aventurar pelas páginas da série Rosemary Beach, e o resultado foi incrível. A autora é mundialmente famosa pelos seus romances com uma pitada deliciosa de cenas bem quentes entre seus casais protagonistas. Se antes havia certo receio em ler algo erótico, após o primeiro livro esse receio simplesmente acabou. Vocês devem estar  se perguntando: “Tá, mas o que isso tem a ver com esse livro?“. Certo, desde então procurei, mas não encontrei, algo que trouxesse o universo gay para essa mesma temática, trazendo a intimidade do casal, mas valorizando sua história de amor ao invés de simplesmente descrever o sexo entre ambos.

Para minha grande surpresa, há algumas semanas, a Editora Paralela anunciou seu primeiro romance gay erótico, “Ele. Quando Ryan Conheceu James“, das autoras Sarina Bowen e Elle Kennedy. Nos últimos dias mergulhei nas páginas do livro que conta a história de Ryan e James, dois amigos que se conheceram em um acampamento de verão e depois de alguns anos se afastaram completamente, quando Ryan simplesmente sumiu da vida de James, sem qualquer explicação. Quatro anos mais tarde, James ainda não entende nada do que houve com o amigo, mas o destino se encarrega de juntá-los novamente durante uma partida de hóquei onde ambos se enfrentarão pelos seus times da universidade.

Geralmente sou bastante exigente com histórias que envolvem essa temática, justamente por ser muito tênue a linha que separa o caricato do que realmente é belo no amor entre duas pessoas do mesmo sexo, mas esse livro consegue traduzir de forma incrivelmente real uma relação pautada no amor e na cumplicidade, independente dos gêneros que se envolvem.

Apesar de ter pouco mais de 250 páginas, esse é um daqueles livros para ler sem respirar, pois num estalar de dedos você já se encaminha para o final sentindo saudade dos personagens que foram perfeitamente construídos. A tabelinha das autoras, onde, a cada capítulo, vemos a história pela perspectiva de um dos dois protagonistas é perfeita para instigar o leitor a gritar com eles e explicar tudo o que está acontecendo. A história tem uma carga emocional fortíssima, tratando suavemente temas como primeiro amor, descobertas, cumplicidade, medo, preconceito e tolerância.

O livro tem uma pegada erótica que deixa qualquer pessoa de queixo caído tamanha a intensidade da relação e da forma como as cenas são descritas pelas autoras, mas nada nessa história é gratuito e esse foi o maior golaço de Sarina e Elle. Durante cada cena, sejam nas lembranças dos acontecimentos de quatro anos antes ou nos dias atuais, tudo que é acontece segue uma orquestrada sinfonia do amor que vai nascendo e enfrentando as dificuldades e os medos daquilo que é novo para ambos, apesar de Ryan ser um gay assumido. O sexo faz parte de qualquer relação e aqui não é diferente e acaba se tornando extremamente necessário e positivo para imprimir toda a intensidade que transpira por cada página, se tornado um mero, mas delicioso, pano de fundo para a história de amor que é apresentada.

Ele” é uma história bem simples, mas cheia de significados para quem já se apaixonou pelo diferente (aos olhos dos outros) e tem que enfrentar todos os dias os olhares daqueles que não conseguem enxergar que o amor quando verdadeiro não importa o gênero ou qualquer outra coisa. Para quem também se apaixonar pela história, o livro tem uma continuação publicada nos Estados Unidos em 2017 com o título “Us”, por enquanto sem previsão de lançamento no Brasil. Mas já estamos na torcida para a Editora Paralela nos presentear com essa continuação em breve. 🙂

Posso fazer uma sugestão de trilha sonora pra esse livro? Desde o primeiro capítulo só conseguia pensar na Aretha Franklin cantando I Say A Little Prayer. Se quiser ouvir a música é só dar o play.

Avaliação:

 

Sobre as autoras: Elle Kennedy, cresceu nos subúrbios de Toronto. Desde criança, sabia que queria ser escritora. Elle formou se em língua inglesa pela York University e atualmente escreve para várias editoras diferentes. É autora best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal. Sarina Bowen, é autora best-seller do USA Today e de romances contemporâneos e new adult. Cresceu no Vermont e, quando não está escrevendo ou lendo, gosta de esquiar, tomar café e uma boa taça de vinho.

Clique aqui para comprar o livro.

5 COMENTÁRIOS

    • Oi, Bianca!! Muito bom ter você aqui de novo. O livro está sendo divulgado pela Editora Paralela como um romance gay erótico e de fato tem cenas bem quentes (achei tudo muito legal), mas a história dos protagonistas vai muito além do sexo descrito nas páginas… por isso optei pela resenha com outro foco. Acho que o romance é bem mais bacana do que o sexo em si. Se você tiver interesse leia, curti bastante. Abração!! 🙂

  1. Olá, Bianca!!! Bom domingo, querida!!

    AWWWWWWWWWWWWWWW!!!!!

    Sou APAIXONADA por essa duologia desde que a li em inglês, alguns meses atrás!!! Não gosto de romances hetero (faz uns oito anos que parei de lê-los, acho), então os romances da Elle não me chamam a atenção… Mas como a SArina também escreve romances MM/Gay, devorei os dois, na época… e fiquei LOUCA de alegria ao saber que HIM e US seriam traduzidos para o Brasil!!

    Vc tem toda razão: o enredo é simples, mas muito bem trabalhado, os personagens nos cativam e as duas não deixam a peteca cair durante a leitura, sempre querendo saber como os dois fofos irão se entender… *_________ *

    Lógico que já comprei ELE sem perda de tempo – e agora, morrendo na espera de comprar US [Nós ou Nós Dois] Torcendo para que ELE venda BASTANTE e que US seja lançado logo!! ^___^ Tomara que não demore muito a ser lançado \o/\o/\o/

    Não posso terminar SEM PARABENIZAR a Editora Paralela pela INICIATIVA BRILHANTE em lançar romances MM/Gays aqui no Brasil. Não que nos últimos anos vários romances MM/Gay não tenham sido lançados – pelo contrário, houveram muitos lançamentos, mas é que 95% destes são focados mais para o público adolescente… Eu tenho todos em minha biblioteca pessoal, mas de fato, estava mais do que na hora de termos material para o público adulto.

    E a Editora Paralela FEZ UMA ESCOLHA EXCELENTE & EMOCIONANTE para sua primeira aposta neste segmento!!!

    Agora, é só esperar por mais… Pode ser os outros romances MM/Gay da própria Sarina, ou de algumas autoras como a Marie Sexton, Mary Calmes, N. R. Walker, Sandrine Gasq-Dion, enfim… Lá fora, nas terras gringas, existem centenas de autoras e autores de romances MM/Gay…

    Vamos ficar na espera por mais lançamentos destes… e divulgando esta duologia com força, pois as centenas de fãs dos romances MM/Gay tem que saber que HIM & US agora tem um lar no Brasil – YES!!!

    Abraços de panda bem fofinhos
    para você, Bianca, & toda a equipe de Editoras da Editora Paralela!

    Illy

    • Oi, Najara! Que legal, acho que você vai gostar muito da história. Depois passa aqui e me conta. Adorei sua dica da Coleção Amores Impossível, coloquei na minha lista de leitura, gostei muito da escrita da autora. Obrigado pela visita!!

Deixe uma resposta