Sinopse Record: Vegetais alienígenas atravessam o espaço durante milhares de anos em busca de um planeta onde possam se reproduzir, substituindo seres vivos. Encontram a Terra. Os organismos originais padecem, enquanto, de dentro de vagens gigantes, irrompem clones desprovidos de emoção. (Resenha: Os Invasores de Corpos – Jack Finney)

Opinião: Narrativas curtas, tão raras nesses tempos em que os autores preferem escrever trilogias ou séries sem fim, costumam reunir uma gama de qualidades e passar seu recado de forma clara e, dependendo do gênero, envolvente ou aterrorizante. É o caso de Os Invasores de Corpos, de Jack Finney. Em pouco mais de 150 páginas, desenrola-se uma ficção científica com toques de horror que não só fisga a curiosidade dos leitores, como também teve papel importante nos rumos do gênero nas décadas seguintes à sua publicação.

Basicamente, Os Invasores de Corpos trata de um tema bem comum na literatura de ficção científica: a invasão de nosso planeta por extraterrestres. Mas diferentemente de obras já consagradas como A Guerra dos Mundos, por exemplo, a dominação aqui migra das grandes metrópoles para cidadezinhas do interior. Consequentemente, o clima é outro, afinal o território a ser tomado é menor e o estilo de vida dos personagens, em que todos se conhecem bem, influencia bastante nos desdobramentos da história.

E como se dá esse horror? Bom, imagine uma pessoa que você conviva diariamente e conheça bem, tipo seus pais, cônjuges ou melhores amigos. Mas certo dia uma sensação de estranhamento começa a surgir. Você se dá conta de que mesmo tendo a mesma aparência física, os mesmos comportamentos e as mesmas lembranças, essa pessoa não é quem você conhece tão bem. É uma cópia, um embuste. Pois bem, é isso que acontece na cidadezinha de Mill Valley, nos Estados Unidos, e é dessa forma que Jack Finney desenvolve sua trama, de leitura rápida e envolvente.

Doutrinados pelo cinema e seus incontáveis filmes de invasão por alienígenas, podemos achar, a princípio, que Os Invasores de Corpos traz uma história recheada de clichês e um tanto bobinha. Até mesmo se levarmos em conta as inúmeras adaptações que este livro teve para as telonas. Mas aí entra em cena aquele velho conselho, que sempre coloco em resenhas de obras mais antigas, de que é preciso encararmos o livro de acordo com a época em que foi escrito. Neste caso, para 1953, a trama é bem elaborada e trazia novidades. Principalmente na forma como os extraterrestres são retratados (seres desprovidos de emoção, sem valores e movidos unicamente por um instinto de reprodução) e no jeito curioso como se desenvolvem.

Os Invasores de Corpos é um daqueles livros para serem devorados em poucas horas e que rapidamente conquistam nossa simpatia. É o tipo da leitura que reafirma o prazer de ler boas histórias bem contadas.

PS: Infelizmente Os Invasores de Corpos encontra-se fora de catálogo no Brasil. Exemplares podem ser encontrados somente mediante um bom garimpo em sebos.

Avaliação: 5 Estrelas

O Autor: Jack Finney Walter Braden “Jack” Finney, nascido John Finney em 2 de outubro de 1911 foi um autor americano. Seus trabalhos mais conhecidos são ficção científica e thrillers, incluindo Os Invasores de Corpos e Time and Again. O primeiro foi a base para o filme de 1956 Invasion of the Body Snatchers e seus remakes. Finney faleceu em novembro de 1995.

Compartilhar
Artigo anteriorResenha: Uma Estranha em Casa – Shari Lapena
Próximo artigoConfira o trailer da adaptação do livro “Um Pequeno Favor”
Jornalista e aprendiz de serial killer. Assumidamente um bookaholic, é fã do mestre Stephen King e da literatura de horror e terror. Entre os gêneros e autores preferidos estão ficção científica, suspense, romance histórico, John Grisham, Robin Cook, Bernard Cornwell, Isaac Asimov, Philip K. Dick, Saramago, Vargas Llosa, e etc. infinitas…

Deixe uma resposta