Sinopse DarkSide: Toda cidade pequena tem segredos. Mas nenhuma delas é como Black Spring, o pacato vilarejo que esconde uma bruxa de verdade do resto do mundo. Os moradores sabem que não se deve mexer com ela. Assim como aconteceu com as bruxas de Salem, Katherine Van Wyler foi condenada à fogueira. Mas a feiticeira sobreviveu e continua rondando a cidade, mais de trezentos anos depois. Seus olhos e sua boca foram costurados, para impedir que ela lance maldições fatais. Os habitantes de Black Spring controlam seus passos através do HEXApp, um aplicativo de celular, 24 horas por dia. A vigilância constante aumenta o clima de paranoia na cidade, enquanto um grupo de adolescentes desafia as regras e resolve zoar a bruxa para ver se ela é tão perigosa quanto dizem… (Resenha: HEX – Thomas Olde Heuvelt)

Opinião: Uma clássica história de terror envolvendo bruxas, crenças, maldições, pequenas cidades, florestas e, claro, segredos muito bem guardados. E tudo documentado e monitorado por aplicativos, câmeras, blogs… HEX, do promissor autor holandês Thomas Olde Heuvelt, traz o horror para o ambiente tecnológico do século XXI e dá um fôlego novo e fantástico para o gênero. A obra inova e moderniza a narrativa do terror clássico, trazendo uma nova roupagem para o tema da bruxaria, muita tensão e uma manipulação psicológica fora do comum.

A premissa básica de HEX se funda sob o sólido terreno do tradicional: uma cidade pequena atormentada por uma bruxa condenada à fogueira trezentos anos atrás, mas que permanece rondando dia a dia o ambiente. Essa maldição é um segredo guardado a sete chaves e os moradores não medem esforços para manter a famigerada Katherine Van Wyler longe dos olhos forasteiros. E no mundo em que vivemos, que método poderia ser mais eficaz do que um aplicativo que, a partir de atualizações de qualquer pessoa, indica onde a bruxa se encontra?

O ponto que mais chama atenção na criação de Olde Heuvelt é justamente colocar toda a tecnologia do nosso cotidiano à serviço do monitoramento do objeto de horror que assombra a cidade. As ferramentas usadas pelos personagens aproximam a ficção da nossa realidade e dão gás e agilidade para a narrativa. Isso se soma a um primoroso trabalho de horror psicológico. A todo momento a atmosfera da cidade dá mostras de que algo ruim está prestes a acontecer e nós embarcamos nessa sensação. A narração vai crescendo à medida que a tensão da cidade vai atingindo seu ápice. Sabemos claramente que vai chegar o momento em que toda essa pressão acumulada vai explodir. Mas jamais estamos preparados para a forma como isso se dá.

HEX se constrói inteiramente sobre uma maldição ao redor de uma bruxa que nada faz. Suas aparições são banais, fazem parte do cotidiano, não causam medo e são ausentes de ações. Ao conhecer sua história, contada aos poucos ao longo do livro, vamos percebendo o quanto ela é uma ameaça. E, novamente, embarcamos no clima de tensão de que quando ela decidir agir, tudo pode vir abaixo.

A pequena Black Spring é o laboratório social em que o autor tece discretamente suas críticas e nos aterroriza. A comunidade que nos é apresentada lá nas primeiras páginas, e que está unida em torno da proteção de um segredo, vai ruindo à medida que a tensão vai crescendo. Nos atos finais, as máscaras sociais vão caindo e aí sim a histeria, a loucura e o verdadeiro comportamento humano frente às adversidades vêm à tona. As sequências que levam à conclusão do livro são aterrorizantes mais pela forma como se dão do que pelos atos da bruxa em si.

HEX é um livro fadado a se tornar um clássico do terror contemporâneo. Thomas Olde Heuvelt transformou uma ideia simples em espetáculo de horror e loucura em que percebemos que, às vezes, é melhor ter os olhos costurados do que enxergar as camadas verdadeiras do que e de quem nos rodeia.

Avaliação: 5 Estrelas

O Autor: Thomas Olde Heuvelt é autor de cinco romances e muitos contos fantásticos. Já foi publicado em inglês, holandês, chinês e, agora, em português. Ganhou o Harland Award (prêmio holandês na categoria de Melhor Fantasia) em três ocasiões, e o Hugo Award de 2014 na categoria Melhor Conto. Olde Heuvelt escreveu seu romance de estreia aos dezesseis anos e estudou Língua Inglesa e Literatura dos EUA em sua cidade natal, Nijmegen, e na Universidade de Ottawa, no Canadá. Desde então, ele se tornou autor best-seller na Holanda e na Bélgica.

Considera Roald Dahl e Stephen King os heróis literários de sua infância, que incutiram nele o amor pela ficção macabra. HEX é a estreia de Olde Heuvelt como romancista. A Warner Bros. está atualmente desenvolvendo uma série de TV baseada no livro.

Compartilhar
Artigo anteriorDarkSide | Bem-Vindo à Casa dos Espíritos
Próximo artigo“O Mundo Perdido”, de Conan Doyle, está de volta às livrarias
Jornalista e aprendiz de serial killer. Assumidamente um bookaholic, é fã do mestre Stephen King e da literatura de horror e terror. Entre os gêneros e autores preferidos estão ficção científica, suspense, romance histórico, John Grisham, Robin Cook, Bernard Cornwell, Isaac Asimov, Philip K. Dick, Saramago, Vargas Llosa, e etc. infinitas…

2 COMENTÁRIOS

  1. Sou muito fã de historias em cidadezinhas com seus mistérios, parece ser o caso desse livro. Vai pra minha lista fácil… pena que a Dark é tão cara hahahha

    • Falaa Kaique… Cara, esse livro tem muito bem a cidadezinha que você curte, mas tem uma pegada tecnológica com aplicativos que inovam no gênero. Ctza que vc vai curtir muito. Ah, e fica ligado que a Amazon tem colocado esse livro sempre em promoção! 😉

Deixe uma resposta