Sinopse Editora Arqueiro: Uma princesa de Marte e As crônicas marcianas, dos mestres Edgar Rice Burroughs e Ray Bradbury, foram clássicos que influenciaram a imaginação de milhões de leitores e mostraram que aventuras espaciais não precisavam se passar numa galáxia distante, a anos-luz da Terra, para serem emocionantes. Elas poderiam ser travadas logo ali, no planeta vizinho.

Antes mesmo do programa Mariner e da corrida espacial, a imaginação povoava nosso sistema solar com seres estranhos e civilizações ancestrais, nem sempre dispostos a fazer contato amigável com a Terra. E nesse período, de todos os planetas que orbitavam o nosso Sol, nenhum tinha uma aura de maior romantismo, mistério e aventura do que Marte.
Com contos escolhidos e editados por George R. R. Martin e Gardner Dozois, As crônicas de Marte retoma esse sentimento ao celebrar a Era de Ouro da ficção científica, um período recheado de histórias sobre colonizações interplanetárias e conflitos antigos.
Para essa missão, autores consagrados como Michael Moorcock, Mike Resnick, Joe R. Lansdale, S. M. Stirling, Mary Rosenblum, Ian McDonald, Liz Williams e James S. A. Corey foram convidados a regressar ao misterioso planeta vermelho, aqui representado como um destino exótico, com canais ancestrais, desertos, cidades em ruínas, civilizações impressionantes… e, é lógico, perigos inimagináveis.
Enfim, o bom e velho Marte está de volta. (Resenha: As Crônicas de Marte – George R. R. Martin & Gardner Dozois ).

Opinião:

“Por que você está em um bar com criminosos e gente desqualificada de todo o sistema solar? Eu fui até o pântano porque era onde estava a comida, e você vai aonde o dinheiro está para poder comprar a comida, um passo extra da qual minha raça não necessita.” – Nas tumbas dos reis marcianos

Queridos leitores compulsivos, acima um pequeno fragmento do que vocês podem esperar dessa obra incrível que reúne vários contos extraordinários envolvendo o planeta vermelha.

Não é de desconhecimento de ninguém que vários autores adoram escrever sobre os planetas e principalmente marte que está bem ali pertinho da gente. A quantidade de material em livros e filmes que existem envolvendo esse globo vermelho é consideravelmente satisfatória. E o incrível é que podemos ter uma noção do que possa ser o planeta vermelho.

Nesta obra organizada por George Martin e Gardner Dozois, temos a reunião de vários contos que se interligam porque tratam de marte. Em cada um podemos ter a noção do que é marte pela perspectiva de quem escreveu, com histórias fantásticas ou relatos do que marte significou pra eles sem mesmo ter visitado, apenas com notícias da NASA e a bela imaginação.

Particularmente o conto que mais chamou-me atenção foi Nas tumbas do rei marciano (acima um pequeno trecho). Já que, Mike Resnick traz uma história envolvente de valorização e respeito. Ele discute a necessidade de valorizar o que é nosso e é bonito ver isso sendo exposto com os marcianos.

Em relação a escrita nem preciso comentar o quanto é envolvente ou estou sendo um pouco eufórico porque estava “sedento’ nessa leitura e minhas expectativas foram supridas lendo esse livro em um dia e pra ser exato em quatorze horas.

Pra quem curte ficção cientifica compilada em contos é um livro muito bom e envolvente, com traços bem específicos de cada autor o leitor consegue diferenciar cada escrita e isso não enjoa com a presença de dezesseis tipos de escrita. Leiam!

Avaliação: 5 estrelas

Os autores

George Martin nasceu em Bayonne, Nova Jérsei, filho de um estivador, cuja família de classa operária vivia perto das docas de Bayonne. Quando jovem, ele se tornou um leitor ávido de quadrinhos de superheróis. A edição de novembro de 1968 do Quarteto Fantástico possui uma nota ao editor que Martin escreveu quando ainda estava na escola. Ele credita a atenção que ele recebeu com a carta, junto com seu interesse em quadrinhos, como sua inspiração para se tornar escritor. Em 1970, Martin recebeu seu Bacharelado em jornalismo na Universidade Northwestern, Illinois, se formando com muitos elogios. Ele depois completou um Mestrado em jornalismo, também em Northwestern, em 1971.
Martin começou a escrever contos de ficção científica no começo da década de 1970, apesar de o início de sua carreira não ter sido fácil (uma de suas histórias foi rejeitada por diferentes revistas 42 vezes), ele nunca se desencorajou; anos depois ele venceria seu primeiro Hugo Award e Nebula Award por um de seus contos.

Gardner Dozois um americano autor de ficção científica e editor . Ele é o editor fundador das antologias do Best Science Fiction do ano (1984-presente) e foi editor da revista Science Fiction da Asimov (1984-2004), conquistando vários prêmios Hugo e Locus por esses trabalhos quase todos os anos. Ele também ganhou duas vezes o Prêmio Nebula para Melhor Curta História . Ele foi induzido pelo Hall da fama da ficção científica em 25 de junho de 2011.

 

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta