Resenha: A Missão Traiçoeira – Erin Beaty

0
994

Sinopse Editora Seguinte:  

Sage Fowler abandona seu posto como aprendiz de casamenteira e se envolve em uma nova missão secreta ao lado do capitão Alex Quinn no segundo volume da série O Beijo Traiçoeiro.

Depois de se provar uma espiã habilidosa e uma casamenteira estrategista, Sage Fowler passou a ocupar uma posição confortável na alta sociedade, dando aulas para as princesas do reino de Demora. Quando surge a oportunidade de participar de uma nova missão secreta, porém, Sage quer aproveitar a chance para servir ao seu reino mais uma vez — e ficar mais próxima de seu noivo, o capitão Alexander Quinn. Alex não fica nada feliz com a ideia, já que está determinado a proteger a namorada de qualquer perigo.

A insistência de Sage em fazer parte da missão faz com que eles se desentendam cada vez mais e, quando um conflito com um reino vizinho resulta em uma tragédia, os dois acabam separados. Para completar a missão de Alex — e a sua própria —, Sage precisará contar com a ajuda de aliados inesperados para sobreviver em um território inimigo e salvar o reino de Demora mais uma vez. (A Missão Traiçoeira –  Erin Beaty).

Opinião: 

É do conhecimento daqueles que acompanham a série de Erin Beaty que Sage é uma persoangem forte e que é capaz de movimentar montanhas se for preciso para alcançar seus objetivos e concluir suas missões. Em A Missão Traiçoeira a acompanhamos em mais uma missão para salvar Demora e as tramas desenvolvidas são postas para revelar mais uma vez quem é Sage. 

Este segundo livro é totalmente distante da história anterior. No primeiro livro acompanhamos o reino de Demora na saga de descobrir seus inimigos e apresentação dos seus persoangens e construção. Aqui ainda temos Demora tentando silenciar os inimigos, mas, seus personagens estão bem mais construídos e preparados para entender as façanhas que os esperam.

Sage consegue enxergar que onde há fogo há fumaça e que onde há fumaça ouve fogo. Sua perspicaz e inteligência de lidar com situações estranhas e complicadas é vista com bons olhos pela rainha, com o aval dela, Sage embarca com muita relutância de Alex em uma missão que pode revelar vários perigos.

Alex é o tipíco personagem masculino que não quer ver sua amada em perigo, e em decorrência de episódios anteriores vistos no primeiro livro, perder Sage não é uma opção para ele. Com medo da dor e da perda, ele tenta evitar que ela embarque em perigos e se afastando dela a coloca cada vez mais em situações embaraçosas. O romance deles é algo complicado, pois, um ou outro não consegue aceitar os termos; e por isso sempre acabam desencadeando problemas que interferem relativamente na missão.

No entanto, Sage não se curva à Alex e vai contra sua vontade. Obedecendo a rainha ela embarca juntamente com o acampamento de Alex para descobrir os passos dos inimigos e descobrir quem são os inimigos.

O ponto alto do livro e que custa muito a chegar devido as enrolações que autora coloca, é o momento em que o acampamento dos demoranos é atacado por inimigos (não irei revelar quem são) e Sage é colocada em perigo, tudo acontece muito rápido e se você não respirar não vai conseguir entender os fatos.

A Missão Traiçoeira é um livro que continua a busca pelo inimigo do reino, porém suas tramas são mais planejadas e se distanciam de esteriótipos vistos atualmentes em quase todas histórias. Erin consegue ser contínua mesmo que em alguns pontos deixa a desejar colcoando coisas desnecessárias na história. Uma boa continuação. Leiam!

Avaliação: 

A autora Erin Beaty nasceu e cresceu em Indianapolis, Indiana. Formou-se na Academia Naval dos Estados Unidos com diploma em engenharia aeroespacial e serviu à Marinha como oficial de armas e instrutora de liderança. Ela e o marido têm cinco filhos, dois gatos e uma horta, e moram onde quer que a Marinha os leve.

Compartilhar
Artigo anteriorA Torre do Amor | Arqueiro lança o quarto livro da série Conto de Fadas
Próximo artigoResenha: A Parábola do Semeador – Octavia Butler
Goiano do pé rachado e comedor de piqui. Alucinado por histórias fantásticas e distópicos. Tributo, Hobbit de nascença, e habitante do país de Aslan. Entre os autores Suzanne Collins é majestade e Tolkien é imperador. Técnico em Química e buscando ser químico industrial intercalado com a vida de escritor, um dia qualquer publicará seu livro. Não dispensa um cinema...

Deixe uma resposta