Sinopse Editora Novo Conceito: Scarlett nunca saiu da pequena ilha onde ela e sua irmã, Donatella, vivem com seu cruel e poderoso pai, o Governador Dragna. Desde criança, Scarlett sonha em conhecer o Mestre Lenda do Caraval, e por isso chegou a escrever cartas a ele, mas nunca obtivera resposta. Agora, já crescida e temerosa do pai, ela está de casamento marcado com um misterioso conde, e certamente não terá mais a chance de encontrar Lenda e sua trupe, mas isso não a impede de escrever uma carta de despedida a ele. Dessa vez o convite para participar do Caraval finalmente chega à Scarlett. No entanto, aceitá-los está fora de cogitação, Scarlett não pretende desobedecer ao pai. Sendo assim, Donattela, com a ajuda de um misterioso marinheiro, sequestra e leva Scarlett para o espetáculo. Mas, assim que chegam, Donattela desaparece, e Scarlett precisa encontrá-la o mais rápido possível. O Caraval é um jogo elaborado, que precisa de toda a astúcia dos participantes. Será que Scarlett saberá jogar? Ela tem apenas cinco dias para encontrar sua irmã e vencer esta jornada. (Resenha: Caraval -Stephanie Garber).

Opinião: Primeiramente: que tipo de livro é esse? Caros leitores compulsivos, se queres um livro que tenha várias tramas, intrigas, mentiras, ilusões e jogo valendo a vida de alguém, este é o livro certo.

Caraval é o livro de estreia Stephanie Garber e ela traz um conjunto incrível que desperta o leitor a querer continuar, mesmo que em alguns momentos a história não pareça caminhar e estaciona em pontos que dão preguiça.

A história acompanha Scarlett e Donattela, duas irmãs que desde criança ouviam histórias da avó sobre o Caraval e o Mestre Lenda do Caraval. Filhas de um pai rigoroso, temeroso e Governador da Ilha Dragna e que se tornou mais duro com a morte da esposa. A relação entre pai e filhas não é de fácil digestão, ele é violento e não atura a desobediência de suas filhas e como forma de “educação” é em meio a tapas.

Desde criança quando ouvia as histórias contadas por sua avó, Scarlett sempre desejou conhecer o Mestre Lenda do Caraval e o próprio Caraval. Com isso, o envio de cartas era constante, no entanto o retorno delas não acontecia. Com o tempo o desejo foi diminuindo, mas sempre existia aquela minúscula chama em seu coração.

Scarlett compreende que após muitos anos seu sonho não se tornará realidade e diante dos dramas que a cerca decide-se casar e obedecer ao pai. Entretanto, sua irmã Donatella não é do tipo que aceita tudo e tem um espirito independente, de luta e força feminina.

As coisas mudam quando uma carta de retorno do Mestre Lenda do Caraval chega em suas mãos como um convite para conhecer o Caraval, e aquela chama adormecida em seu coração se reacende. Mas, ela decide seguir os objetivos que lhe foram impostos.

Seus objetivos viram do avesso quando Donatella resolve junto com um marinheiro (muito intrigante ele) raptar a irmã e levá-la ao jogo, mas, como tudo na vida precisa de uma ação e drama, Scarlett se vê perdida em uma ilha e precisa dentro de cinco dias encontrar sua irmã que a levou para aquele lugar.

No decorrer dos acontecimentos o leitor fica com o questionamento se aquilo é um jogo que custa a vida de alguém ou apenas um espetáculo e que no final tudo ficará bem. E é justamente nesses acontecimentos que em certos momentos a história se perde um pouco.

Caraval consegue surpreender os leitores amantes de aventuras e fantasia. É um livro nostálgico, pois lembra muito filmes como Jumanji e Zathura, justamente pela temática abordada.

 A autora consegue explorar muito bem o universo e é espetacular a forma como o criou, justamente para cativar o leitor e levá-lo a ter vontade de ler o próximo que ainda não foi lançado. Enquanto isso aguardamos ansiosamente esse lançamento. Leiam!

Avaliação: 4 estrelas

A autora Stephanie Garber cresceu no norte da Califórnia, onde foi comparada a Anne Shirley, Jo March e outros personagens fictícios com imaginação selvagem e traços teimosos. Quando ela não está escrevendo, ensina escrita criativa e sonha com sua próxima aventura. Lenda ainda não lhe enviou um convite para o Caraval.

Compartilhar
Artigo anteriorResenha: A Garota Alemã – Armando Lucas Correa
Próximo artigoResenha: Deuses Renascidos – Sylvain Neuvel
Goiano do pé rachado e comedor de piqui. Alucinado por histórias fantásticas e distópicos. Tributo, Hobbit de nascença, e habitante do país de Aslan. Entre os autores Suzanne Collins é majestade e Tolkien é imperador. Técnico em Química e buscando ser químico industrial intercalado com a vida de escritor, um dia qualquer publicará seu livro. Não dispensa um cinema...

Deixe uma resposta