Resenha: Ser Feliz é Assim – Jennifer E. Smith

0
145

Sinopse Galera Record: A vida — assim como o amor — é cheia de conexões inesperadas e enganos oportunos. Uma ligeira mudança no curso pode gerar consequências surpreendentes. Afinal, às vezes, o desvio, o atalho é o verdadeiro caminho. A estrada que deveríamos ter escolhido desde sempre… Se pelo menos tivéssemos a coragem de fazer do coração nossa bússola.

Graham Larkin e Ellie O’Neill não poderiam ser mais diferentes. O rapaz é um ídolo adolescente, um astro das telas de cinema; uma vida calcada na imagem. O cotidiano constantemente sob o escrutínio dos refletores. Agentes, produtores, RPs, assessores… Já Ellie passou a vida escondida nas sombras, fugindo de um escândalo do passado enterrado em sua árvore genealógica.

Mas, mesmo sem aparentemente nada em comum, os dois acabam se conhecendo — ainda que virtualmente — quando Graham envia a Ellie, por engano, um e-mail falando sobre o porco de estimação Wilbur. Esse primeiro contato leva a uma correspondência virtual entre os dois, embora não saibam nem o nome um do outro. Os dois trocam detalhes sobre suas vidas, esperanças e medos.

Então Graham agarra a chance de passar tempo filmando na pequena cidade onde Ellie mora, e o relacionamento virtual ganha contornos reais. Mas será que duas pessoas de mundos tão diferentes conseguirão ficar juntas? Será que o amor é capaz de vencer — mesmo — qualquer obstáculo? E mais importante… é possível separar ilusão de realidade quando o coração está em jogo?

Opinião:  Jennifer E. Smith é aquela autora que sabe escrever sobre o amor, principalmente o primeiro e jovem amor, de maneira tão graciosa que cada frase soa como um suspiro. Juntamente com Stephanie Perkins e Rainbow Rowell, Smith trouxe ao universo Young Adult uma vitalidade e um romantismo nada piegas e bem divertido. “Ser Feliz é Assim” (2014) cumpre todos os atributos de um romance jovem delicado, sutil, engraçado e encantador.

Ellie e Graham se apaixonam à primeira vista virtualmente. O contato acontece por acidente, mas os e-mails trocados durante os três meses seguintes são espontâneos e sinceros, como se os dois já se conhecessem há anos, mas sem, ao menos, saber o nome um do outro. Quando Graham, uma estrela adolescente, ator em ascensão, consegue mudar a locação de seu mais novo filme para a cidade de Ellie, uma pequena localidade no estado do Maine, ele decide fazer uma surpresa para a jovem.

Quando Graham chega a Henley, todas as atenções da cidade vão imediatamente para as estrelas de Hollywood e todo o aparato cinematográfico. Nada disso impressiona Ellie. Na verdade, a garota acha tudo aquilo um incomodo para cidade, já cheia de turistas para o verão. Até que uma noite Ellie vê Graham, o ator famoso, sem saber que ele é o cara dos e-mails. Não demora muito até que os dois se descobrirem e então darem sentido a todos àqueles meses de conversa.

Os personagens de Smith são tão viciantes quanto a própria história. Ellie e Graham possuem humor e paixão. Apesar de rico e famoso, Graham tem dentro de si melancolia e relações pessoais conturbadas. No fundo, o garoto é infeliz. Ellie também possui sua parcela de tristezas e, apesar de uma vida simples em Henley, guarda um segredo que a faz ter sempre um pé atrás quanto a Graham. E é nessa confusão de sentimentos, vivências e realidades que os dois personagens dão luz a narrativa da autora.

A cidade, pano de fundo para o desenrolar do livro, lembra aqueles pequenos locais bucólicos e cheios de uma vida singular. Henley é o melhor cenário para um amor tão encantador, para o encontro de duas pessoas tão diferentes e para você, caro leitor, se apaixonar.

Avaliação: 5 estrelas

Sobre o autor: Jennifer E. Smith é autora, também, “A Probabilidade Estatística do Amor a Primeira Vista” e “Geografia de Nós Dois”. Se formou em redação criativa pela Universidade de St. Andrews, na Escócia e, atualmente, trabalha como editora em Nova York.

Deixe uma resposta