Resenha: Abaixo de Zero – Bret Easton Ellis

1
231

Se “O Apanhador no Campo de Centeio” (J.D. Salinger, 1951) retratava parte da juventude cinquentista novaiorquina vazia e angustiada, “Abaixo de Zero” (Bret Easton Ellis, 1985) nos apresenta aos jovens oitentistas abastados e vazios de Los Angeles e suas rotinas regadas à cocaína, sexo e festas.

Clay é calouro na faculdade em New Hampshire e retorna a Los Angeles para as festas de final de ano. Apesar de ter deixando a cidade dos anjos há poucos meses, Clay volta diferente, incomodado. Mesmo assim, ao encontrar os velhos amigos e a ex-namorada da escola, Blair, rapidamente entra em uma rotina pesada de sexo, drogas, festas e dinheiro. Na companhia de Blair, Clay retorna aos locais de sempre, ruas, bares, restaurantes, casas. Encontra velhos colegas de escola e velhos traficantes.

Nada mudou, os hábitos apenas se intensificaram. Julian, melhor amigo de Clay, se envolveu profundamente no submundo das drogas pesadas e da prostituição. Sem futuro e com problemas familiares, Julian busca nos prazeres efêmeros satisfação para o seu vazio. Assim como Blair, presa em uma espiral de sexo fácil e vazio, tudo para suprir a falta de Clay. Mesmo fingindo felicidade, Clay, Julian, Blair e todos os outros personagens, inclusive os adultos, estão envoltos em uma névoa de frivolidades e infelicidade.

O romance de estreia de Bret Easton Ellis, que na época em que escreveu a obra tinha a mesma idade de seus personagens principais, é uma leitura rápida, crua e impactante. A passividade e a inconsequência de adolescentes que tudo tem, mas nada possuem incomoda e corroí. Fica o questionamento sobre como, mesmo tão jovens, são incapazes de sentir.

“- Pelo que você se interessa? O que te faz feliz?
– Nada. Nada me faz feliz. Não gosto de nada.”

Ainda na década de 80, o livro ganhou uma adaptação cinematográfica com Andrew McCarthy como Clay e Robert Downey Jr. como Julian. Apesar de se distanciar bastante do livro, o filme capta toda a atmosfera de desesperança criada por Ellis. Aliás, dizem que é por causa de Julian que Robert Downey Jr. intensificou seu abuso com drogas e acabou no fundo do poço, se reerguendo anos mais tarde.

Em 2011, Ellis lançou a continuação de “Abaixo de Zero”. “Suítes Imperiais” se passa 25 anos após o primeiro livro e acompanha os personagens, agora adultos e bem-sucedidos, mas presos aos velhos hábitos.

Nota: 5/5

Compartilhar
Artigo anteriorResenha: Fábrica de Vespas – Iain Banks
Próximo artigoLançamento: A Química, Stephenie Meyer
Carioca de nascimento e juiz-forana de todo o resto, Iracema Martins é jornalista por vocação, paixão e formação. Cresceu em uma casa cercada de livros, cultura, história e política, seus tópicos favoritos para conversas. Além de ser apaixonada por livros, assiste mais séries do que consegue acompanhar, não vive sem música e ama cinema.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta