3 filmes inspirados em casos de Ed e Lorraine Warren

0
383

Estamos na semana mais assombrosa do ano: Halloween, Dia de Todos os Santos, Dia de Los Muertos, Finados… Tradições pagãs e religiosas fazem com que, entre os dias 31 de outubro e 2 de novembro, os vivos se aproximem dos mortos. Pensando nisso, separamos 3 casos reais investigados pelo casal Ed e Lorraine Warren e que viraram filmes. Para quem não conhece, o casal Warren investigou mais de 4 mil casos de assombrações nos Estados Unidos. O mais famoso dele é a casa de Amityville, tópico de uma listinha anterior e que você poder ler aqui.

#1 – “Invocação do Mal”

O filme lançado em 2013 foi baseado no caso de uma fazenda em Harrisville, Rhode Island. A família Perron relata ter sofrido, por 10 anos, torturas pelos espíritos e fantasmas que habitavam a casa. O casal Roger e Carolyn Perron mudou-se para a fazenda na década de 1970. A busca por uma vida mais tranquila logo se transformou em um inferno. Apesar de haver, nos relatos dos Perron e dos Warren, bons espíritos na fazenda, também tinham os nada agradáveis que puxavam cabelos, fechavam portas e batiam tão forte na porta da frente que a casa chegava a tremer. Mas, o pior de todos era conhecido como Bathsheba. A entidade, em vida, era uma bruxa praticante do satanismo que morreu após se enforcar. Bathsheba desejava Roger Perron e queria que Carolyn fosse embora da casa, atacando-a com beliscões, tapas, além de ameaçá-la com tochas de fogo. Por fim, os Perron acreditaram que Bathsheba tenha possuído Carolyn, o que fez com que eles chamassem os Warren.

#2 – “Annabelle”

O filme de 2014 é inspirado na história real de Donna, uma estudante universitária que, em seu aniversário, ganhou da mãe uma boneca Raggedy Ann (personagem de livros infantis criada por Johnny Gruelle, em 1918). Passado alguns dias, Donna e sua colega de quarto, Angie, perceberam que havia algo de errado com a boneca e que ela parecia se movimentar sozinha. A princípio, a boneca realizava pequenas mudanças de posição, quase imperceptíveis. Mas isso começou a mudar, até chegar ao ponto de Donna deixar, várias vezes, Annabelle no sofá antes de sair de casa e, ao retornar, a encontrar no quarto e com a porta fechada. Annabelle começou a escrever bilhetes. Sim, escrever. Donna e Angie começaram a encontrar mensagens de ajuda escritas a lápis. A letra parecia de criança. Para piorar, as mensagens eram feitas em pergaminho, tipo de papel que Donna não tinha em casa. Mais tarde, após Donna encontrar gotas vermelhas, parecidas com sangue, na mão da boneca, as amigas procuraram ajuda de uma médium. Elas foram apresentadas ao espírito de Annabelle, uma criança de 7 anos que teve o corpo encontrado no terreno onde, mais tarde, foi construído o complexo de apartamentos em que as amigas moravam. Sentindo compaixão, Donna e Angie permitiram que o espírito continuasse a possuir a boneca. Até que um dia, Lou, amigo de Donna e Angie, teve um pesadelo e acordou com a Annabelle subindo pelo seu corpo, até começar a estrangulá-lo. Após um segundo ataque a Lou, as amigas decidiram buscar ajuda. Entraram em contato com o Padre Cooke que, ao tomar ciência do caso, contatou os Warren para ajudá-los. O casal concluiu que a boneca não estava possuída, mas estava sendo manipulada por uma entidade que, na verdade, procurava um hospedeiro humano. Ao final da investigação, a boneca foi levada pelo casal e hoje está em exposição, guardada em uma caixa de vidro, no Museu Ocultista dos Warren. Mesmo ao deixar o apartamento de Donna e Angie, ainda há eventos assustadores envolvendo a boneca.

#3 – “Evocando Espíritos”

Lançado em 2009, o filme é inspirado na história na casa Hallanan, em Southington, Connecticut. Em 1986, Allen e Carmen Snedeker, seus 4 filhos e 2 sobrinhas, mudaram-se para a residência. A casa, anteriormente, havia abrigado a Funerária Hallanan, fato que o casal Snedeker nega ter tido conhecimento. Não demorou para que a família encontrasse no porão uma caixa de alças para caixões, uma corrente para erguer caixões e uma mesa de drenagem de fluídos. Logo, o filho mais velho do casal começou a relatar visões de fantasmas. Algum tempo depois, o garoto começou a se vestir com roupas de couro, desenvolveu interesse por demonologia e chegou a pensar em assassinar Allen, seu padrasto. Além disso, a sobrinha do casal relatou ter sido acariciada por uma mão invisível, ruídos eram ouvidos nos cômodos da casa e vários ataques físicos e sexuais foram relatados. 2 anos após o início dos acontecimentos, a família chamou os Warren para investigar a casa. Durante 9 semanas, o casal viveu na residência e concluiu que havia presenças paranormais no local. Ao final da hospedagem, Ed e Lorraine chamaram um padre para exorcizar a casa.

Para conhecer mais investigações paranormais de Ed e Lorraine Warren, leia o livro “Ed & Lorraine Warren: Demonologistas”, lançado este ano pela DarkSide Books.

Origem - Dan Brown - Editora Arqueiro

Deixe uma resposta