Resenha: Eleanor & Park – Rainbow Rowell

1
210

Ser adolescente não é fácil em nenhum lugar do mundo. Ainda mais se você for nova na escola, fora dos padrões e com um histórico familiar do mais complicado. A primeira vista, a história de “Eleanor & Park” (Rainbow Rowell, 2013) parece clichê. Eleanor tem 16 anos, é nova na escola, diferente, não se encaixa nos padrões de beleza, gosta de usar roupas largas e tem uma família problemática. Já Park é o típico garoto que tem a vida perfeita. Os pais são amorosos, tem vários amigos, leva uma vida pacata. Park é nerd, gosta de quadrinhos e música. Assim como Eleanor.

Ambientado em 1986, o livro acompanha os primeiros contatos dos dois jovens dentro do ônibus escolar, o nascimento da amizade, até o desenvolvimento do primeiro amor. Eleanor, a outsider da escola, sofre com o bullying praticado pelos colegas de escola, além da violência doméstica em casa e, é com Park, que ela consegue, pela primeira vez, fugir desses problemas. Os dois experimentam as dores e as delícias da primeira paixão, ao mesmo tempo que lidam com seus problemas interiores e pessoais.

A narrativa de Rainbow Rowell é tão delicada e sensível que você devora o livro em alguns dias. A imersão é profunda e você sente todas os sentimentos dos personagens como se fossem seus. Mas “Eleanor & Park” não é só uma história de primeiro amor. É uma narrativa sobre problemas, sobre intensidade e corações partidos. É uma história sobre um amor imperfeito, mas que deixa marcas para o resto da vida. Ao mesmo tempo que faz rir e sentir as delícias das primeiras paixões, o livro nos faz engolir seco e segurar as lágrimas. É tão real que provavelmente alguém vai se ver naquelas linhas.

Para completar, “Eleanor & Park” possui uma trilha sonora própria, com várias referências de bandas e elementos da cultura pop da década de 1980. Apesar de parecer clichê a primeira vista, a obra passa longe disso. O livro termina e você só quer mais umas 20 páginas, por favor. Há algum tempo li que haveria uma adaptação para os cinemas. Ficamos aqui na torcida!

Nota: 5/5

Compartilhar
Artigo anteriorScream é renovada para 3ª temporada
Próximo artigoO Rei Corvo: conclusão da “A Saga dos Corvos” chega às livrarias
Carioca de nascimento e juiz-forana de todo o resto, Iracema Martins é jornalista por vocação, paixão e formação. Cresceu em uma casa cercada de livros, cultura, história e política, seus tópicos favoritos para conversas. Além de ser apaixonada por livros, assiste mais séries do que consegue acompanhar, não vive sem música e ama cinema.

1 COMENTÁRIO

  1. Li este livro há algum tempo e realmente, é uma volta à década de 1980, maravilhoso, saudosista e ao mesmo tempo trata de problemas familiares. A autora acertou em cheio quando reuniu estes temas e construiu personagens maravilhosos. Parece que tudo se encaixa e terminamos o livro com a sensação de que Eleanor e Park foram feitos um para o outro.

Deixe uma resposta